Budismo é zelar pelos pais
  • JUVENTUDE

Budismo é zelar pelos pais

Com fé genuína é possível conduzir as pessoas que amam ao caminho da felicidade

Com base no discurso do presidente Ikeda extraído do discurso proferido na 13ª Reunião Geral da SGI, realizada no Centro de Treinamento da Europa, em Trets, França, em 16 de junho de 1991.


Ao incentivar uma integrante da DFJ que estava preocupada com o fato de seu pai não praticar o Budismo Nichiren, Dr. Ikeda afirma que isso era uma expressão da compaixão do pai, que a estava ensinando ser benevolente. No trecho a seguir, ele encoraja carinhosamente os membros em situação semelhante, instigando-os a ter um coração aberto e acolhedor, a respeitar os pais e a tratá-los bem.


Tenho certeza de que muitos de vocês têm pais, ou outros membros da família, que não praticam o Budismo Nichiren, mas não há motivo para se sentirem ansiosos ou preocupados por causa disso. Se como indivíduos, se levantarem com uma fé genuína, serão capazes de conduzir todas as pessoas que amam ao caminho da felicidade eterna. Esse é o poder ilimitado da Lei Mística.


Quando o sol se levanta, ilumina tudo na Terra. Quando um único farol reluz à noite no mar, incontáveis embarcações podem navegar com segurança. Quando há na família alguém que atua como um sólido pilar, todos os seus integrantes podem viver de maneira segura e tranquila.


Vocês são o sol que banha os demais com o brilho e a luz da felicidade. São faróis que guiam as pessoas ao estado de buda. São a sólida espinha dorsal da boa sorte e benefício, que levam felicidade à família. Aqueles que possuem um vínculo com o budismo virão um dia a aceitá-lo e a praticá-lo. Portanto, vivam com alegria, de maneira positiva, abraçando todos ao redor com humanismo e o coração e a mente abertos.


Em uma carta endereçada ao jovem Nanjo Tokimitsu, Nichiren Daishonin diz: “...estar sempre atento para proporcionar-lhes todos os tipos de coisas boas, e se isso for impossível, deve, no decorrer de um dia, pelo menos sorrir duas ou três vezes para seus pais”. Se quiser oferecer algo bom aos pais, mas não tiver nada em mãos, mostre pelo menos um sorriso duas ou três vezes por dia.


Os pais se encantam com o sorriso dos filhos, que ilumina o coração deles como raios de sol. Demonstrar gratidão aos pais é a essência do budismo. Nada traz maior felicidade aos pais do que a interação carinhosa e agradável com os filhos, que os enchem de orgulho e alegria por terem criado seres humanos tão excelentes. Eles estarão dispostos a ouvir qualquer coisa que esses filhos tenham a dizer.


Se todas as vezes que visitarem seus pais ficarem insistindo para que eles pratiquem o budismo, alegando que, caso não o façam irão sofrer, somente os deixarão infelizes e ressentidos.


É mais do que natural que vocês orem sinceramente para que seus pais atinjam o estado de buda, mas espero que sua conduta em relação a eles seja sempre repleta de sabedoria, afeto e bom senso. Mostrar quanto cresceu como ser humano é a melhor maneira de transmitir a veracidade do budismo àqueles ao redor. Esse é o meio para aumentar a própria boa sorte e benefícios e também da família.


Fonte: 
Brasil Seikyo, ed. 2.306, 16 jan. 2016, p. B3
TAGS:JUVENTUDE

• comentários •

;