Desemprego e vitória (parte final)
  • JUVENTUDE

Desemprego e vitória (parte final)

Olá, tudo bem?

Vamos dar continuidade ao artigo anterior sobre Desemprego e Vitória. Se você quer ler a primeira parte deste post clique aqui.

Com um mercado de trabalho altamente competitivo as empresas querem ter em seus quadros funcionários capacitados, comprometidos e que tragam bons resultados. De que forma podemos nos inserir ou nos recolocar nesse mercado?

Devemos levar em consideração o conhecimento técnico, formação, experiência, competências, habilidades e atitudes. Por exemplo, se uma pessoa quer ser secretária, pode começar trabalhando como recepcionista adquirindo conhecimento, aprendendo sobre a empresa, conhecendo os colaboradores. Seus esforços serão percebidos e a oportunidade irá surgir (“produzir efeito”).

Há um ditado que diz: “Sorte significa preparação mais oportunidade”. Em suas orientações, o presidente da Soka Gakkai Internacional, Daisaku Ikeda, cita que devemos sempre estar preparados! Portanto, devemos sempre estar preparados (dar causa) para quando uma oportunidade surgir!

Outro dia atendi uma jovem que dizia ter “carma de emprego”. O sonho dela era ser editora chefe. Porém, apesar de recitar Nam-myoho-renge-kyo e estar muito tempo procurando emprego, seus esforços estavam muito aquém para o cargo que almejava. O português dela não era tão bom e sua redação tinha muitos erros. Como ser uma editora chefe sem se capacitar?

Falamos sobre “dar causa”, pois o budismo é baseado na lei de causa e efeito. Se deixar os aspectos negativos da sua vida (preguiça, impaciência, desânimo, inveja, raiva e pessimismo) se sobressaírem que causa estará fazendo? Praticar o Budismo de Nichiren Daishonin é agir conforme os desejos do Buda, ou seja, se desafiar, manifestar sabedoria para agir diante das mais difíceis circunstâncias e fazer a própria revolução humana.

O mais interessante é que você perceberá que a transformação da sua vida não está condicionada somente a arrumar um emprego. Vai muito além, pois se trata de conseguir um bom emprego em que possa ser feliz, por meio dos "3 B” da filosofia de Tsunessaburo Makiguchi - bom, belo e benefício - comentaremos sobre esses aspectos em outra oportunidade. Dessa forma, o budista deve visar um trabalho que contribua para o desenvolvimento pessoal, da empresa e da humanidade.

Bem, voltando às questões iniciais (sobre suas experiências anteriores relativas à perda de emprego ou outra experiência semelhante), faça novamente a pergunta para si, aplicando o que foi sugerido neste artigo. A partir dos princípios budistas expostos verá que na verdade, o desemprego (ou qualquer outra experiência que a princípio poderia parecer totalmente negativa), foi ou pode vir a ser a causa que proporcionou alcançar uma grande vitória e mudar totalmente sua condição de vida baseada na prática da fé.

No próximo artigo, iremos tratar sobre Desemprego e Empreendedorismo.

Gostou deste artigo? Compartilhe com os amigos!

Gostaria de sugerir algum tema? Fique à vontade. 

Até a próxima!



TAGS:EMPREENDEDORISMO,JUVENTUDE

• comentários •

;