Dificuldade — a “medalha de honra ao mérito” da juventude
  • JUVENTUDE

Dificuldade — a “medalha de honra ao mérito” da juventude

“Ser menosprezado por tolos é a maior honra”, cita Makiguchi

Discurso proferido na 3ª Reunião Nacional de Dirigentes da Divisão dos Jovens da Soka Gakkai realizada no Auditório Soka da Amizade Internacional, em Sendagaya, Tóquio, no dia 13 de abril de 2002. 1


O poder do discurso

Apesar de suas contribuições para o avanço da ciência e da paz mundial, o Dr. Pauling e sua família tornaram-se alvo de inveja, calúnia e perseguições inimagináveis. O Dr. Pauling foi tachado de comunista e foram feitas acusações falsas contra ele, sendo várias vezes intimado a comparecer diante de comitês de investigação do Senado.


Enfrentar perseguições com frequência é um fato imutável da história.

Porém, o Dr. Pauling possuía grande coragem; ele não ficava nem um pouco amedrontado e lutou bravamente com o poder do diálogo. Não foi simplesmente por sua própria causa que ele assumiu a batalha contra as ações injustas das autoridades. Ele afirmou com coragem: “Devo dizer que ao lutar contra o que eu considero como uma injustiça praticada contra mim por este subcomitê [do Senado], estou lutando também pelas pessoas que não podem como eu lutar por si próprias.”2 E disse desejar muito que fossem aprovadas leis que tornassem esse tipo de investigações ilegais no futuro.


Sua posição clara era defender as pessoas cujos direitos humanos eram menosprezados e que eram acusadas falsamente e fazer militância para deter os abusos despóticos das autoridades. Sua luta estava fundamentada numa determinação firme e corajosa.


Membros da Divisão dos Jovens, se o objetivo de vocês é serem vencedores e vitoriosos, peço-lhes que gravem profundamente na vida uma convicção tão inabalável quanto a do Dr. Pauling e que coloquem-na em ação. Peço-lhes que se levantem intrépidos como Joana D’Arc.

O Dr. Pauling deu um épico primeiro passo rumo a um século dos direitos humanos e do humanismo. Vamos seguir seus passos!


Vivam com coragem!

Soube que a edição francesa de meu diálogo com o ex-presidente soviético Mikhail Gorbachev foi muito bem recebida pelos leitores e que se tornou um best-seller na França. [Intitulado Dialogue pour la Paix, esse livro foi indicado como best-seller pela FNAC, a maior livraria de Paris.]


O presidente da editora francesa do livro [Sr. Jean-Paul Bertrand, presidente das Éditions du Rocher] entrou em contato comigo recentemente. Na carta que me enviou, ele me falou de seu lema — as palavras do famoso poeta Jean Cocteau — segundo o qual a condenação vinda dos injustos é de uma suprema nobreza. Estas palavras são bastante verdadeiras.


Esse era também o verdadeiro sentimento manifestado pelo presidente Makiguchi, que disse: “Ser menosprezado por tolos é a maior honra.”


Em uma passagem que fala sobre a essência do budismo, Nichiren Daishonin escreveu:

“Cada um dos senhores deve reunir a coragem de um rei leão e nunca sucumbir às ameaças de ninguém. O rei leão não teme nenhum outro animal, tampouco seus filhotes. Os caluniadores são como as raposas que ladram, mas os seguidores de Nichiren são como os leões que rugem".

Nunca tenham medo de nada. Se se renderem ao medo, não serão como um leão. Por favor, vivam como leões!


A importância de cada pessoa

O importante é que cada pessoa seja forte, que se torne um leão. Em relação a isso, o Dr. Pauling fez certa vez esta analogia de fácil compreensão com base em sua visão científica:

“Aprendemos nos cursos de Física que a pressão exercida no final do pistão dentro do motor de um automóvel é o resultado do bombardeamento de trilhões e trilhões de moléculas de gasolina aquecida. A contribuição de cada molécula é muito pequena em relação ao total da pressão exercida, mas se cada uma decidisse que não tem importância o motor não funcionaria. Da mesma forma, o sucesso de um movimento em massa depende de cada ser humano participar e contribuir pela concretização do objetivo.”3


Estas palavras são realmente maravilhosas. A imensa força necessária para dirigir um motor de automóvel advém da força combinada de cada molécula. O movimento em massa que impulsiona uma era também se origina igualmente da união das pessoas. Como é importante a força de cada pessoa! Além do mais, nada supera a força dos jovens.


Fonte: 
Brasil Seikyo, ed. 1.667, 14 set. 2002, p. A3
TAGS:JUVENTUDE

• comentários •

;