Educar filhos é criar pessoas de valor
  • FAMÍLIA

Educar filhos é criar pessoas de valor

Um dos maiores desafios na sociedade

Descobrir, desenvolver e lapidar os seres humanos é de grande valor é o foco das atividades promovidas pela Soka Gakkai Internacional (SGI). Sem esses esforços, não há como concretizar o objetivo maior: a paz mundial.


Se a humanidade almeja um futuro brilhante, deve, como primeiro passo, cuidar com carinho e atenção das crianças.


Pode-se dizer que um dos maiores desafios na sociedade tem sido educar as crianças com sabedoria e benevolência. Cada criança é única em gênero e personalidade. Os pais não devem insistir em discipliná-la ou repreendê-la toda vez que surgir um problema. É importante analisarem se o momento é ou não apropriado para isso. É fundamental também que tudo o que disserem seja de coração. A mãe consciente adverte o filho somente quando necessário, mesmo sabendo que ele poderá ficar magoado com ela. Na realidade, as crianças não ficarão ressentidas com os pais se souberem que eles agiram por amor e por se importarem com elas.


Se os pais censuram constantemente os filhos com ira, a reação destes só poderá ser de medo. Assim, as crianças vão se tornar adultos facilmente manipulados ou indivíduos que tendem a fugir de confrontos e críticas. Se os pais continuarem a repreendê-las sem razão, elas não acatarão o que eles lhes disserem nos momentos cruciais.


Repreender uma criança sem se alterar emocionalmente não é fácil. Porém, os pais nunca devem repreender o filho só porque estão de mau humor ou frustrados com algo. É muito importante que estabeleçam uma relação de confiança com as crianças.


Dependendo de como os pais falam com os filhos, estes se sentirão encorajados ou desmotivados. Se costumam se exaltar ao chamar a atenção, se em vez de ouvir o que elas têm a dizer tentam lhes ensinar sobre moral — atitudes como essas só as deixarão deprimidas e tristes. Dedicar um tempo para ouvi-las antes de tecer comentários fará uma grande diferença. Se os pais contra atacarem toda vez que falarem com os filhos, dificilmente conseguirão estabelecer com eles uma relação aberta e sincera. O modo de interagir com as crianças reflete a determinação mais profunda.


A sincera oração pela felicidade das crianças e a preocupação pelo bem-estar é extremamente importante. É essencial também que, ao interagir com elas, respeitem cada uma como indivíduo. Falharão se agirem com indiferença, pensando que as crianças não compreenderão o que estão falando ou que não precisam se preocupar com um problema que, do ponto de vista dos adultos, é simples demais. Cada criança possui dentro de si o potencial de um adulto. Se for tratada com essa consciência, será possível o florescimento de seu caráter. Com base nessas ações, os pais serão capazes de desenvolver a si mesmos também.


Não há necessidade de a mãe se culpar ou achar que não tem cumprido o seu papel por não ficar em casa o tempo todo. Ela está se dedicando pelo bem dos filhos, do lar e beneficiando a sociedade. É tolice comparar a situação da família com a de outras e pensar que deve agir do mesmo modo. As pessoas são diferentes umas das outras; por essa razão, não existem famílias iguais. Se agir dessa forma, é bem provável que essa mãe viva na ilusão ou com base em formalidades. O mais importante para uma família é que cada um de seus membros se desenvolva sabiamente. Educar filhos é criar pessoas de valor.


É fundamental que as mães tenham sempre em mente que os filhos vêm em primeiro lugar. Os ideogramas chineses da palavra “ocupado” significam, literalmente, “perder algo de vista”. Em outras palavras, tendemos a perder de vista o que é realmente importante quando estamos preocupados com vários afazeres. Como mortais comuns, há dias em que não estamos de bom humor. Se conseguirem lidar com os problemas, mesmo que o façam por meio de pequenos passos, as mães serão vitoriosas. Por mais difícil que seja a situação, continuem sorrindo e demonstrem especial consideração pelas crianças.


Os filhos sempre querem a atenção da mãe mesmo sabendo que ela está ocupada. Quando crescem, continuam a querer a atenção dela nos momentos mais cruciais da vida. Ter alguém que acredita neles é o melhor encorajamento que poderiam receber; isso os fortalece interiormente. É essencial que a mãe envolva os filhos com um espírito magnânimo.


Pais presentes o tempo todo não é necessariamente o melhor para as crianças. Embora seja natural desejarmos fazer de tudo pelos filhos, se agirmos dessa forma, tiraremos deles a chance de desenvolverem a autoestima.


Jean Jacques Rousseau escreveu: “Os que conseguem resistir ao bem e ao mal na vida são, a meu ver, os mais educados. A verdadeira educação, portanto, consiste menos de preceito do que de prática”. O treinamento para a vida e para o desenvolvimento da autodisciplina é mais importante do que a educação puramente acadêmica.


É vital possibilitar às crianças desenvolverem a força interior para enfrentarem as ondas bravias e as tempestades de inverno na vida.



Fonte:


Brasil Seikyo, ed. 2360,  18 fev. 2017 - Grupo Coração do Rei Leão


TAGS:FAMÍLIA

• comentários •

;