Esperança no futuro
  • JUVENTUDE

Esperança no futuro

Os jovens da SGI devem expandir a esperança para humanidade

Com base no discurso do presidente da SGI, Daisaku Ikeda, proferido na 9a Reunião de Líderes de Regional da Soka Gakkai, realizada no dia 5 de setembro de 2001 no Auditório Memorial Makiguchi de Tóquio, em Hachioji. Estiveram presentes nessa reunião 450 membros da SGI de cinquenta países e territórios que participavam do Primeiro Curso de Aprimoramento dos Jovens da SGI do século 21.


Em uma carta endereçada a Shijo Kingo [discípulo de Nichiren Daishonin], que viajava até a Ilha de Sado para visitá-lo no exílio, Daishonin escreveu:

“Para você, um leigo pressionado pelo tempo na prestação de serviço ao seu lorde, crer no Sutra do Lótus é algo muito raro. Além disso, vencendo montanhas e rios e cruzando o grande mar azul, o senhor veio de longe para me visitar. Como então sua determinação poderia ser inferior à do homem que quebrou seus próprios ossos na Cidade das Fragrâncias,1 ou à do menino que se atirou nas Montanhas de Neve?”2


Daishonin oferecia os maiores louvores a Shijo Kingo por seu espírito de procura na fé. Esse tipo de espírito de procura manifesta-se em uma ação suprema.


O budismo é um mundo de suprema benevolência e humanidade.

E agora, a humanidade aguarda pelo surgimento de uma nova força, positiva e cheia de esperança. Aquelas forças que ultrapassaram seu tempo deixarão o palco da história. Nessas circunstâncias, pessoas inteligentes e solícitas do mundo todo depositam suas expectativas nos membros da Divisão dos Jovens da SGI, denominando-os de “esperança do futuro”. Alguns nos escreveram isso em cartas, e outros declararam em livros e discursos.


O Dr. David Krieger, presidente da Fundação para a Paz na Era Nuclear, com o qual publiquei um diálogo intitulado Kibo no Sentaku (“Escolha a Paz”, disponível apenas em japonês), manifestou esse sentimento para Masao Yokota, presidente do Centro de Pesquisas de Boston para o Século 21, instituto afiliado à SGI, e cito-o literalmente:

“Encontrei-me com vários grupos diferentes de jovens da Soka Gakkai, e sempre me impressionei com seu espírito. Eles têm olhos brilhantes e um largo sorriso. Isso representa para mim sua ânsia de aprender... Sinto que são jovens em busca de um caminho para realizar algo digno e que seja realmente positivo para sua vida, o que é uma postura muito diferente de tantos jovens alienados e que procuram apenas formas de se rebelar contra a sociedade.”


Afirmo que isso é absolutamente verdadeiro. Digo a todos os membros da Divisão dos Jovens: “Confio a vocês o futuro da SGI!” Por favor, dêem continuidade aos seus dedicados esforços com todo orgulho. E, por favor, nunca se esqueçam de que expandir as fileiras da Divisão dos Jovens é o mesmo que expandir a esperança de toda a humanidade.


Hasteiem bem alto a bandeira da vitória com a convicção de que “Nós somos a Divisão dos Jovens da Soka Gakkai!”. Espero que construam uma força ainda maior e mais forte de jovens da SGI dedicados à causa do bem e que conquistem a admiração do mundo todo.


Fonte:
Brasil Seikyo, ed. 1.637, 26 jan. 2002, p. A4 e A5
TAGS:JUVENTUDE

Notas:

1. Referência ao Bodhisattva Sempre Lamentoso, que cortou seu próprio corpo e rompeu os ossos para vender seu sangue e tutano a um brâmane (na verdade, o deus Shakra disfarçado) que disse desejá-los para usar num sacrifício. Ele buscava com isso uma maneira de obter os meios de fazer um oferecimento ao Bodhisattva Dharmodgata, que vivia na Cidade das Fragrâncias, e ouvir seu ensino sobre a perfeição da sabedoria.
2. O menino Montanhas de Neve, que ofereceu o próprio corpo a um demônio para ouvir um ensino budista.

• comentários •

;