Estar doente significa ser derrotado?
  • BEM ESTAR E SAÚDE

Estar doente significa ser derrotado?

Como enfrentar a doença e fazer dela um acontecimento significativo na vida

Texto extraído do romance Nova Revolução Humana, v. 29, p. 126-128.

Shin’ichi Yamamoto salientou:

— É óbvio que todos devem se atentar para não ficar doente, ter uma vida regrada, preocupar-se com seus hábitos alimentares e se empenhar em preservar a saúde. Contudo, também há doenças relacionadas com fatores hereditários. O importante é não serem derrotados pela enfermidade. Por exemplo, suponhamos que uma pessoa fique com dificuldade de locomoção devido a uma doença. Podemos afirmar que isso já determina sua infelicidade? Não, em hipótese alguma. Conheço muitos membros da Soka Gakkai que vivem com entusiasmo desfrutando plenamente a felicidade, mesmo não conseguindo andar. Na vida, assim como a doença, existem muitas outras adversidades com as quais todos podem se deparar, como o desemprego ou a falência nos negócios. Mas não é isso em si que torna as pessoas infelizes. Nessas horas, por pensarem que “tudo acabou na sua vida” e perderem as esperanças, ficarem abatidas, impassíveis ou desesperadas é que elas próprias se tornam infelizes. Ou seja, ser derrotado por obstáculos como a doença significa ser abalado e influenciado por esses fenômenos, e derrotado em seu coração. Assim sendo, para superar e vencer as situações adversas, é preciso seguir orando firmemente até o fim com a forte determinação do leão: “Eu não serei derrotado! Vou superar tudo sem falta e coroar minha vida com vitória!”. Nichiren Daishonin disse: “O Nam-myoho-renge-kyo é como o rugido de um leão. Que doença pode, portanto, ser um obstáculo?”. Por outro lado, é justamente por existirem sofrimentos e preocupações e por conseguir superá-los e vencê-los que se pode comprovar o grandioso poder benéfico do budismo. A experiência da luta contra a doença também se torna uma força para impulsionar o kosen-rufu. Este é o budismo que faz com que tudo na vida ganhe significado. Por esse motivo, ao se receber um diagnóstico de doença, deve-se pensar: “Vou conseguir acumular mais um relato de comprovação da fé! O tesouro que prova a força do budismo se multiplicará!”. Em vez de lamentarem ou desanimarem, devem se levantar imponentemente e confrontar a doença. Por favor, transmita isso à Sra. Kuriyama.

Koichi Towada ouvia as palavras de Shin’ichi Yamamoto comovido com a sincera consideração e disposição dele.

— A base fundamental para vencer a doença é fazer emergir a grande energia vital de dentro da vida. Essa energia é manifestada com a máxima força quando se decide viver a qualquer custo para proteger os outros. Ao vermos os registros de pessoas que sobreviveram na época da guerra e depoimentos de pessoas repatriadas, mães que estavam obstinadas a proteger sem falta os filhos sobreviveram vigorosamente, mais fortes que ninguém. Nós objetivamos a concretização da felicidade de todas as pessoas e a paz do mundo denominadas kosen-rufu. Ao orarem para superar sua doença para seguir cumprindo essa missão, a vida do bodisatva da terra, a grandiosa vida do Buda emergirá de dentro do seu ser e transbordará. É por meio disso que se consegue vencer a doença. Mesmo realizando a prática budista, pode acontecer de falecer de doença enquanto jovem. Para nós, mortais comuns, é impossível sondar o carma negativo que cada indivíduo carrega. Contudo, pessoas que devotam sua existência em prol do kosen-rufu possuem uma extraordinária e intensa chama da vida e de alegria. Sua maneira de viver e suas ações irradiam um nobre brilho como ser humano, e conquistam a simpatia de muitos companheiros. Existem também pessoas que, mesmo estando enfermas na cama, continuaram a incentivar com todas as suas forças os companheiros que as visitavam. Temos também aqueles que continuaram a recitar daimokuenquanto sua consciência se esvaía, até o último suspiro. Assim é o aspecto de alguém que conclui sua existência como bodisatva da terra. Não há dúvida de que extinguiu seu carma negativo.

TAGS:BEM ESTAR E SAÚDE

• comentários •

;