Fazer do nosso lar um castelo de felicidade e segurança
  • FAMÍLIA

Fazer do nosso lar um castelo de felicidade e segurança

Texto extraído e adaptado do Encontro com o Mestre publicado no Brasil Seikyo, ed. 2.352, 31 dez. 2016, p. B1.

Gosto muito das expressões “família criativa” e “família que se desenvolve”. A família é um porto de segurança e esperança necessário na vida. É uma fortaleza de felicidade e de paz, um ambiente para se revitalizar e recarregar a bateria todos os dias. A família contém um vínculo positivo que nutre a alma e constrói o caminho para o autoaprimoramento e a realização; um castelo de harmonia e crescimento.

Mesmo que seus integrantes vivam longe uns dos outros, família é sempre família. Nichiren Daishonin tinha um amor profundo por sua mãe. Num de seus escritos, ele expressa com total candura o seu arrependimento por não ter dado ouvidos às coisas que ela dizia com frequência.1

Família é tema central e recorrente nos escritos de Daishonin. Por essa razão, “Prática da fé para criar a harmonia familiar” é a primeira das cinco diretrizes eternas.2

O Sr. Toda declarou:

A família compõe a base da sociedade. E a prática da fé para criar a harmonia familiar é fonte de energia para a construção de uma família sólida. Essa fé é condição indispensá­vel para a felicidade de cada família e para o desenvolvimento da sociedade como um todo.

A família e o lar são o alicerce de comunidades e sociedades prósperas. O crescimento de cada membro da família, tendo como base o respeito e o encorajamento mútuos e a construção de um ambiente de harmonia e cooperação no lar — a menor unidade social —, constitui o ponto de partida para a paz.

Como consolidar a harmonia familiar, que representa um modelo em miniatura da paz mundial?

Em primeiro lugar, devemos nos esforçar para sermos pessoas alegres e radiantes, cuja presença no lar envolva todos os familiares com a luz da compaixão. Em segundo, precisamos nos respeitar mutuamente e reconhecer que os vínculos familiares entre pais e filhos ou entre cônjuges e parceiros consistem em laços cármicos que se estendem pelas três existências — passado, presente e futuro. Em terceiro, devemos prestar uma contribuição positiva à sociedade e trabalhar para desenvolver sucessores que façam o mesmo.

 

Notas:

1.    Nichiren Daishonin escreve: “Quando minha mãe era viva, contrariei muito as palavras dela. Agora que ela me precedeu na morte, não posso deixar de sentir um profundo arrependimento” (WND, v. II, p. 898).

2.    Cinco Diretrizes Eternas da Soka Gakkai:

1. Prática da fé para criar a harmonia familiar.

2. Prática da fé para conquistar a felicidade.

3. Prática da fé para vencer as dificuldades.

4. Prática da fé para manter a boa saúde e obter longevidade.

5. Prática da fé para alcançar a vitória absoluta.

Josei Toda, segundo presidente da Soka Gakkai, apresentou as três primeiras diretrizes em dezembro de 1957. Ele havia acabado de concretizar o objetivo de sua existência: a marca de 750 mil novas famílias afiliadas da Soka Gakkai. Seu objetivo era esclarecer a conduta da prática da fé para que cada um conquistasse a felicidade. Décadas depois, em dezembro de 2003, o presidente Ikeda acrescentou duas novas diretrizes com o intuito dos membros da SGI renovarem o juramento de promover o kosen-rufu mundial.

TAGS:FAMÍLIA

• comentários •

;