Nobreza é jurar e cumprir o que prometeu
  • JUVENTUDE

Nobreza é jurar e cumprir o que prometeu

A unicidade acontece quando o discípulo tem o mestre no coração

Shin’ichi Yamamoto deu boas-vindas do fundo do coração aos membros da Divisão dos Estudantes Esperança. Todos acumularam diligentes esforços desafiando muitas dificuldades e estabelecendo o juramento de se reunirem dez anos após o primeiro encontro.

— Sejam bem-vindos! Acredito que todos tenham jurado ao Gohonzon se desenvolverem e se reunirem sem falta. E se empenharam até o dia de hoje sem se esquecerem desse juramento. Isso é o mais importante. Não se pode quebrar o juramento feito ao Gohonzon; aquilo que prometeu. É fácil decidir. Mas isso não tem significado se não for posto em ação. Ser nobre é cumprir o juramento que vocês mesmos fizeram. É aqui que existe o caminho que define a vitória da vida.

Os membros vieram até agora se reunindo periodicamente para reconfirmarem o juramento e se polirem mutuamente. Entre os jovens que vieram em busca de Shin’ichi nesse dia, estava Masashi Kimori. Ele estudou na Universidade Soka e tinha decidido começar a trabalhar, em abril, numa grande empresa de Tóquio.

A família Kimori era pobre, e o jovem não possuía condição financeira para continuar os estudos na faculdade. O pai saiu de casa para trabalhar num local distante, e a mãe trabalhava numa marcenaria. Dessa forma, criaram os quatro filhos. Masashi também trabalhou entregando leite e jornal desde o ensino fundamental. Seus dedos perdiam a sensibilidade quando fazia a entrega de leite em pleno inverno de temperaturas negativas em meio aos ventos gélidos que sopravam carregando a neve.

O jovem, ao receber os incentivos de Shin’ichi, decidiu firmemente em seu coração: “Vou corresponder à expectativa me tornando uma pessoa valorosa que contribui para a sociedade”.

Quando a Universidade Soka foi inaugurada na época em que ele entrou no segundo ano do ensino fundamental, desejou intensamente: “Eu também quero estudar na universidade fundada por Yamamoto sensei”. Ele sabia muito bem quão difícil era a situação financeira da família mas, determinado, solicitou tenazmente o apoio dos pais e obteve permissão. Então, dedicou-se aos estudos com garra e ingressou na Universidade Soka no ano seguinte ao de sua formatura no ensino médio. Tornou-se o primeiro aluno da Universidade Soka da região de Shimokita.

Foi morar no apartamento do irmão mais velho que trabalhava em Tóquio, e para conseguir dinheiro fazia bicos na construção civil. Kimori veio se desafiando e cerrando os dentes, objetivando “o décimo ano em que se encontraria com Shin’ichi”. Vitoriosa é a pessoa de persistência que vence a si mesma. É a pessoa que veio cumprindo o seu juramento.

Amor pelos estudantes


Shin’ichi Yamamoto tirou foto comemorativa com os jovens de Shimokita, e disse-lhes:

— A verdadeira luta na vida será de agora em diante. A vitória ou a derrota será decidida daqui a dez, ou melhor, daqui a vinte, trinta anos. Transmitam sem falta minhas recomendações aos que não puderam vir no dia de hoje.

Então, quando estava indo embora, completou:

— Não importa quão longe estejamos, vocês são todos “meus discípulos”! Eu acredito nisso!

Esses membros se autodenominaram Grupo Shimokita e continuaram a se incentivar mutuamente se encontrando periodicamente.

Os alunos, tendo cada um deles o mesmo juramento feito a Shin’ichi, seguiram atuando no drama da vitória da vida nas suas respectivas localidades.

O início de tudo foi uma única foto. Sem terem recebido ordens de ninguém, tiraram aquela foto, escrevendo cada um o seu juramento e a enviaram espontaneamente a Shin’ichi. Isso não foi, jamais, algo realizado com a expectativa de receber algo em troca.

Shin’ichi lutava com a máxima força, todos os dias para corresponder ao sincero coração de todos os associados da SGI.

No entanto, não há dúvida de que, por meio do envio da foto, mesmo que não obtivessem resposta ou incentivos, os membros teriam mantido o elo de coração com coração com ele porque decidiram que Shin’ichi seria o mestre deles por toda a vida. Desde o momento em que enviaram a foto, já haviam zarpado ao grande oceano da vitória juntos com Shin’ichi.

Shitei – mestre e discípulo – não existe num contato físico direto. Existe quando se tem o mestre no coração, realiza o juramento a esse mestre e ainda existe no diligente avanço e na luta com obstinada determinação de cumpri-la. É aí que se encontra também o florescer da vida.

Fonte:

Brasil Seikyo, ed. 2337, 27 ago. 2016, p. A2 / Em Dia
[Tradução das partes 29 e 30 do capítulo Correr com toda Força do volume 29 da Nova Revolução Humana de autoria do presidente Ikeda, publicadas dias 18 e 20 de julho de 2016.]
TAGS:JUVENTUDE

• comentários •

;