O alvorecer do Século das Mulheres
  • MULHER

O alvorecer do Século das Mulheres

"Sejam justas, persistentes e rigorosas em discernir o bem e o mal"

Trechos da parte 55 do ensaio “O Resplendor do Século da Humanidade” de autoria do presidente da SGI, Daisaku Ikeda, publicado no jornal Seikyo Shimbun.


A felicidade que nos é oferecida pelos outros certamente acabará desaparecendo. Contudo, a felicidade criada por nós mesmos nunca nos abandonará. Portanto, a felicidade não é algo que se ganha nem é decidida pelos outros.


Nichiren Daishonin afirma: “A boa sorte nasce no coração e dignifica sua vida”.


A felicidade nasce em nosso próprio coração. Por isso devemos abraçar a sabedoria exposta no budismo em cuja filosofia de vida encontramos a diferenciação entre prazer mundano e prazer da Lei.


O prazer mundano não tem limites nem é duradouro. Não há plena satisfação na alegria obtida e será sempre efêmera. Pode até fazer as pessoas regredirem e ser causa de infelicidade. Porém, o prazer da Lei conduz as pessoas pelo caminho correto da vida, cria o avanço e a conquista da felicidade.


Conforme consta nas escrituras, o “Sutra do Lótus é o ápice de todos os ensinos”. O Nam-myoho-renge-kyo é a suprema Lei do Universo. Por ser uma Lei infinita, não há limites na felicidade obtida por meio dela. Por ser eterna, a felicidade também será eterna. Por ser absoluta, absoluta será também a felicidade. Aqui está o significado do pensamento do presidente Toda que nos ensinou a estabelecer a felicidade absoluta ao invés de buscar a felicidade relativa.


Nos Ensinamentos Transmitidos Oralmente de Nichiren Daishonin consta: “Recitar o Nam-myoho-renge-kyo é como adentrar no palácio existente no interior de sua vida.” Portanto, dentro da nossa vida existe o palácio da felicidade indestrutível. Basta abrir o portal desse palácio com as nossas próprias mãos.


A Divisão Feminina de Jovens está indicando o caminho da sabedoria e da boa sorte para as jovens de diversas partes do mundo.


De toda a forma, é importante ouvir conselhos e opiniões de verdadeiras amigas e companheiras. Porém, jamais dêem atenção aos indivíduos de má índole que criticam os outros maldosamente.


Sejam justas, persistentes e rigorosas em discernir o bem e o mal. Tenham também uma forte energia vital tal como uma árvore que cresce sem ser derrotada pela tempestade. Jamais se desesperem na vida e não esqueçam que sempre haverá uma luz iluminando seu caminho.


Não sejam mulheres infelizes nem prisioneiras do mal. Sejam fortes. Não percam a identidade própria. Não sejam influenciadas pelas circunstâncias. Ser feminina não significa ser uma mulher frágil.


As mulheres que perceberam dentro de si a riqueza de espírito e o tesouro da vida não têm o que temer por serem vitoriosas e felizes.


Fonte:
Brasil Seikyo,
ed. 1.773, 27 nov. 2004, p. A2
TAGS:MULHER

• comentários •

;