O lar é onde o indivíduo se revitaliza
  • FAMÍLIA

O lar é onde o indivíduo se revitaliza

Texto extraído e adaptado do livro A Família Criativa, de Daisaku Ikeda, p. 12-14.

A vida fora de casa é muito competitiva, o que pode desgastar o espírito de uma pessoa. Em contraste, dentro dela é onde o indivíduo se revitaliza.

Em outras palavras, o lar é o solo fértil que provê nutrientes para a árvore da vida humana. Nossa vida começa nele, no local onde somos criados. Sem o amor, a compaixão e a educação que provê dele, não podemos nos desenvolver como seres humanos. A família é, de fato, o centro da sociedade humana e, quando os direitos humanos são desafiados, como nos dias de hoje, ela é a última fortaleza remanescente na qual é garantida a proteção da existência de uma pessoa.

Se for atribuída pouca atenção a ela, as vidas em seu interior não serão suficientemente nutridas para desenvolver e florescer. Sempre defendi que, uma vez que a sociedade é, em essência, uma reunião de famílias, se essas não forem harmoniosas, será impossível criar um ambiente pacífico. Contudo, a população em geral tem prestado pouca atenção ao lar; pode-se até mesmo dizer que a sociedade tem se desenvolvido à custa da família. Isso tem resultado em tragédias de destruição ambiental e em guerra. Ademais, a educação baseada nesse tipo de pensamento tem criado pessoas destituídas do precioso humanismo.

Nós precisamos provocar uma mudança fundamental e imediata nessa forma de pensar. Não há nada mais importante que o ser humano. Precisamos reafirmar constantemente o princípio de que o mais alto valor repousa no desenvolvimento de um modo de vida humano. Nesse ponto se encontra a necessidade de lançar nova luz sobre a razão da existência da família como criadora e protetora da vida.

Quando falo sobre a revitalização do lar, naturalmente, não estou me referindo a um retorno ao tipo de família que existiu durante o período pré-guerra. Muitos aspectos da vida familiar precisam mudar com o tempo. Em resposta à época, precisamos criar um novo modelo por meio de nossos próprios esforços. É fundamental que este núcleo social não subordine seus membros. Ele deve fazer com que a personalidade de cada integrante possa florescer e vibrar.

A família é uma unidade social formada por uma reunião de indivíduos; é essencial que cada responsabilidade e obrigações particulares sejam designadas a cada integrante dentro de sua estrutura. Obviamente, a família deve basear suas atividades na compaixão e no amor, sem procurar recompensas, e seus membros devem se empenhar para estabelecer um ambiente no qual essas emoções possam prosperar. Nesse sentido, um esforço muito grande é requerido.

(...)

A meu ver, dar muita ênfase à liberdade e negligenciar as questões necessárias para sustentar a unidade social levará a circunstâncias em que nenhuma família jamais florescerá. Acho muito triste que um número surpreendentemente grande de pessoas levou sua preciosa vida familiar à beira do colapso por ignorar esse princípio elementar.

 

TAGS:FAMÍLIA

• comentários •

;