O triunfante drama da grande transformação
  • MULHER

O triunfante drama da grande transformação

SGI é a legião de bodisatvas que cumprem suas nobres missões

Discurso do presidente Ikeda extraído e adaptado da série “O Resplendor do Século da Humanidade” publicado em japonês no jornal Seikyo Shimbun em 19 de janeiro de 2004.


Trabalhando incansavelmente pela justiça, felicidade e vitória, as nobres mães do kosen-rufu — nossos membros da Divisão Feminina em todo o Japão e no mundo — estão conduzindo sua vida com confiança, determinação e resolução.


Uma dessas integrantes da DF é Tsuyako Feasel, da SGI-Estados Unidos. Após se casar com um americano no Japão, ela foi para os Estados Unidos com seu marido e seu jovem filho em 1966. Seu marido era um militar e havia sido enviado ao Vietnã. Sozinha nos Estados Unidos com seu filho e falando um inglês pouco fluente, ela batalhou duro, fazendo trabalho doméstico para conseguir uma renda extra para seu sustento. Mesmo após o marido ter retornado da guerra, as dificuldades financeiras da família continuaram.


Mais tarde, o casal teve outro filho, mas ele nasceu com uma saúde frágil. Os médicos prognosticaram que ele jamais andaria ou falaria, e aconselhou o casal a interná-lo numa instituição, mas Tsuyako resolveu determinadamente educar seu filho ela mesma.


Para arcar com as despesas, ela praticamente vendeu tudo o que tinha — suas roupas, incluindo seu precioso quimono de seda que havia trazido do Japão, seus potes e panelas — mas eles ainda não tinham o suficiente para sobreviver.


Por que ela experimentou todo esse sofrimento?

As árduas ondas do destino pareciam pesar sobre ela incansavelmente.


Mas, tendo sido líder de comunidade ativa na Soka Gakkai no Japão, Tsuyako enfrentava com convicção os desafios diante dela, recusando-se a fugir da realidade. Ela mantinha um emprego durante o dia e empenhava-se incansavelmente na linha de frente do kosen-rufu à noite.


Certa noite, Tsuyako estava sentada diante do Gohonzon como sempre. Enquanto ela recitava daimoku numa voz clara e ressonante, as horas passavam; de repente, ela sentiu como se uma luz brilhante iluminasse sua mente: “Tenho orgulho de ser um membro da Soka Gakkai. Eu tenho o Gohonzon. Não temo nada. Não há forma de não me tornar feliz”. Lágrimas de uma indescritível alegria caíam de seus olhos.


O sol da felicidade surge brilhantemente na vida daqueles que, em todos os lugares, assumem corajosamente os desafios de suas atuais circunstâncias, de sua vida e da luta em prol do kosen-rufu.


Em outro escrito direcionado às suas seguidoras, Daishonin afirma: “Não há nada a lamentar quando consideramos que certamente nos tornaremos budas.


Drama da transformação da adversidade

O Sutra do Lótus ensina o profundo princípio de “assumir voluntariamente o carma apropriado”. De acordo com o sutra, os bodisatvas procuram renascer numa era maligna por sua própria vontade, pois eles sentem empatia com aqueles que sofrem e desejam conduzi-los à felicidade.


Cada um de nós, não importando quais dificuldades encontremos ou em quais circunstâncias possamos estar, possui uma nobre missão que somente nós podemos realizar. Quando reconhecemos isso profundamente, tudo se transforma.


Nós nascemos neste mundo, nesta época, para realizar o grande juramento que fizemos no remoto passado. Nosso carma é nossa missão; é o palco no qual desempenhamos nosso magnífico drama da transformação da adversidade em triunfo. Não importa quão difícil ou desafiador a realidade de nossa vida possa ser, não há nenhum outro local onde podemos atingir a felicidade. Eis por que é importante para nós triunfarmos no local em que estamos agora. Nossas atividades da Soka Gakkai, organização que se dedica à felicidade dos outros e à propagação do ensinamento do budismo, são o caminho real da felicidade.


Triunfar brilhantemente

O filho mais velho de Tsuyako, Edward, cresceu observando o corajoso exemplo de sua mãe. Ele se graduou como um dos melhores alunos de sua turma na Universidade de Yale. Um jovem economista brilhante, posteriormente se tornou decano dos estudantes da Universidade Soka da América (SUA), em Aliso Viejo, onde hoje se devota a formar jovens cidadãos globais.


Uma radiante e sorridente Tsuyako, acompanhada do marido, Paul, participou da primeira cerimônia de admissão da SUA, no campus de Aliso Viejo no Condado de Orange, Califórnia, em agosto de 2001. Seu segundo filho, David, a quem os médicos disseram que jamais andaria, pode até mesmo correr, e também participa das atividades da SGI.


Neste mês de janeiro, Tsuyako, aos 79 anos, declarou com orgulho: “Não me sinto idosa. Em prol do kosen-rufu, continuarei falando para defender a verdade e a justiça da Soka Gakkai enquanto viver!” Ela é uma mãe que triunfou brilhantemente.


Fonte: 
Brasil Seikyo, ed. 2.287, 15 ago. 2015, p. B4
TAGS:MULHER

• comentários •

;