Saindo da Zona de Conforto
  • JUVENTUDE

Saindo da Zona de Conforto

Uma nova forma de encarar os obstáculos e as maldades

Vida em constante movimento!


Felicidade verdadeira é aquela que vem de dentro e dura para sempre. Para se viver assim é preciso desenvolver uma poderosa força mental capaz de encarar e superar com alegria os “três obstáculos e quatro maldades” que naturalmente surgem no cotidiano de quem decide ter uma vida correta.


No geral, as pessoas querem evitar a todo custo os problemas e procuram uma “zona de conforto”. Porém, é impossível viver sem problemas. A “zona de conforto” não tem nada de confortável uma vez que a pessoa está se forçando a viver contra o fluxo natural da vida. E, ensina o budismo, a vida está em constante movimento e toda transformação requer enfrentamento, batalha contra a rotina que virou mesmice, a vitória sobre o destino. Ser feliz é ter força para superar com alegria as barreiras que tentam nos desviar da felicidade.


Zona de conforto


Zona de conforto pode ser definida como uma série de ações, pensamentos e/ou comportamentos que uma pessoa está acostumada a manifestar e que tentam não gerar nenhum tipo de medo, ansiedade ou risco. Nessa condição, a pessoa se comporta de uma forma que lhe possibilita um desempenho constante, porém limitado, e uma sensação de segurança. Segundo esse ponto de vista, porém, é necessário que o indivíduo saiba operar fora de sua zona de conforto para realizar avanços em seu desempenho.


É natural não querer problemas


Praticar o budismo é trilhar o caminho da felicidade absoluta, uma condição de plenitude. Ao praticar corretamente, é natural aparecer os “três obstáculos e quatro maldades”. Mas não queremos dificuldades, e sim benefícios. Vamos refletir:


O presidente Ikeda afirma: “Embora falemos que os ‘três obstáculos e quatro maldades’ aparecem, ninguém quer enfrentar adversidades. Essa é uma reação humana natural. Mas Nichiren Daishonin diz que o surgimento dos três obstáculos e das quatro maldades é uma fonte de alegria. Como pode ser? Isso não parece possível. Na verdade, superando as íngrimes montanhas dos obstáculos é que fortalecemos nossa vida e atingimos o estado de buda, e assim apreciamos a sublime vista da eternidade, felicidade, verdadeiro eu e pureza”.


Não é a prática budista que provoca os problemas. Os problemas são parte da vida, as dificuldades são reação natural de uma vida em movimento. O budismo ensina como detectá-las, encará-las e superá-las com alegria.


O verdadeiro benefício é, portanto, ter força para ultrapassar as dificuldades e, com isso, atingir um estado de vida de total felicidade e liberdade.


Vestibular para uma vida de eterna felicidade


Os “três obstáculos e quatro maldades” são a prova viva de que você está incorporando o budismo no seu caráter e avançando na direção certa. Não há necessidade de se assustar nem de temer. O que parece ser algo negativo é a prova de que tudo está prestes a mudar.


A coragem de Shijo Kingo


Shijo Kingo é um personagem budista muito interessante porque, ao decidir viver uma vida correta e justa ao lado do seu mestre, Nichiren Daishonin, passou a ser caluniado e perseguido pelas autoridades injustas do Japão do século 13.


Mas ele não recuou; ao contrário, entendeu que praticar o budismo é justamente vencer as injustiças e as situações negativas do cotidiano. O presidente Ikeda explica: “Shijo Kingo, uma pessoa de forte fé, passou a ser invejado e caluniado pelos outros, atraindo o desagrado de seu lorde. Mas, posteriormente, ele recebeu uma nova propriedade dele. Em termos modernos, podemos dizer que Shijo Kingo conquistou essa vitória demonstrando uma maravilhosa prova real da fé em seu local de trabalho. O teste da fé é vencer na vida diária e na sociedade, já que é aí que o budismo encontra sua expressão”.


Perceba que Kingo enfrentou uma oposição inicial. Mas ele não estava errado, estava certo e falava a verdade. Sua postura foi resistir e continuar, sem se abalar. No fim, venceu de forma completa.


Renove seu ânimo


Diante de qualquer oposição à sua felicidade, seja interna ou externa, pense: “Por que está acontecendo isto?” e responda com toda a coragem: “Isto está acontecendo porque estou prestes a vencer. Não há por que me assustar”. E reforce: “Vou avançar com ainda mais energia junto com meu mestre. Os ‘três obstáculos e quatro maldades’ são apenas o ‘vestibular’ para eu vencer pela eternidade”. Essa, sim, é uma postura ativa e sábia diante dos problemas. Essa é a real “zona de conforto”, um estado de vida que não se abala nunca.


Por que eu?


Por que aparecem obstáculos e maldades se estou fazendo tudo certo? Eles aparecem EXATAMENTE porque está fazendo o certo.


Quando você começou a praticar o budismo e recebeu o Gohonzon decidiu dar um basta e transformar por completo seu destino. Imediatamente passou a agir com mais vigor, a mudar a forma de pensar, a produzir bastante energia vital, a romper o egoísmo. Essa decisão e ação corretas provocam reações opostas num ambiente que está dominado pela negatividade. É natural.


O importante é ficar tranquilo; e reagir com coragem. A oposição é a prova de que está no caminho correto. A prova de que tudo será transformado sem falta.


Eu provoquei!


O presidente Ikeda afirma: “O importante é a forma como encaramos os três obstáculos e as quatro maldades. Precisamos ‘tomar conta’ deles, conscientizando-nos de que nós mesmos os provocamos. Pode parecer que estamos sendo atacados pelos três obstáculos e quatro maldades, mas sua verdadeira natureza é exatamente o oposto. Por termos nos proposto voluntariamente à tarefa de escalar o pico do estado de buda, eles surgiram. O fato de nos depararmos com esses obstáculos e funções malignas é a prova de que estamos defendendo o ensinamento correto e avançando na direção certa. Nós somos os responsáveis; somos os protagonistas”.


Essa afirmação do presidente Ikeda é surpreendente! É uma atitude poderosa e autônoma como se você dissesse: “Está vendo tudo o que estou passando? Fui eu quem provoquei, justamente porque estou tendo uma vida correta! Avançarei com mais vigor e transformarei esta situação! É a minha história, meu drama da revolução humana”.


Problemas aparecem para lhe animar e testar sua resiliência


“Precisamos manter o espírito de perseverança. Perseverar não significa retroceder nem admitir a derrota. Temos de perseverar e vencer. Não importando o que aconteça, não devemos ficar desanimados. O kosen-rufu é uma batalha do espírito. Não se pode dizer que aqueles que se permitem ser derrotados interiormente possuam paciência”, orienta o presidente Ikeda.


Os problemas não existem para lhe desanimar; eles apareceram para você se animar, para testar sua capacidade de resiliência e aumentar sua força. Problemas existem para serem vencidos e ultrapassados.


Mantenha o foco


Em relação à prática budista, a vitória sobre os obstáculos e maldades que tentam tirar o foco são garantia da conquista do eterno estado de buda.


Ao compreender os “três obstáculos e quatro maldades”, você adquire uma fé livre do medo das dificuldades. E vive de forma valorosa dedicando-se à felicidade de si mesmo e de todos à sua volta. O presidente Ikeda conclui: “Tenhamos a convicção de que o surgimento dos três obstáculos e das quatro maldades em nossa vida anuncia que se aproxima a chegada do tempo do kosen-rufu”.



Fonte:


Brasil Seikyo, ed. 2310, 06 fev. 2016, p. C2/C3

Terceira Civilização, ed. 563, jul. 2015, p. 46

Brasil Seikyo, ed. 1.380, 31 ago. 1996, p. A3

TAGS:JUVENTUDE

• comentários •

;