Xô negatividade. Bora ser feliz!
  • JUVENTUDE

Xô negatividade. Bora ser feliz!

Quando seu mundo mental está conduzindo você a “abraçar” a negatividade e nela fazer morada, reaja!

Você acorda, com aquela preguiça, mas desafia e dá um pulo da cama. Toma seu café da manhã e se prepara para encarar mais um dia. Porém no primeiro impasse, bate aquela negatividade e os pensamentos como “não vai dar certo” e “eu não consigo” começam a brotar na sua mente. Eles são pensamentos automáticos negativos que surgem em nossa mente sem que passe por uma análise ou verificação e têm ligação com a nossa percepção do mundo.


 Torne-se imbatível contra a negatividade


  1. Tenha total confiança de que há vida em você e por isso há uma força imensa que o capacita resolver tudo;
  2. Aja com senso de responsabilidade, foco e energia enfrentando a situação até que ela mude;

  3. Seja firme e batalhe contra a negatividade e a lógica da derrota que tentarão vencer você; e

  4. Preocupe-se com as pessoas, reconheça que elas também têm imenso potencial, as encoraje com paciência e carinho até que elas vençam.

Esses quatro elementos combinados fazem você se tornar imbatível.


 Como romper a negatividade mental?


Quando seu mundo mental está conduzindo você a “abraçar” a negatividade e nela fazer morada, reaja!
Reagir não é correr nem se afastar daquela “odiosa realidade”, muito menos tentar fingir que a negatividade não existe. Esse tipo de comportamento cria uma divisão de forças na mente e piora ainda mais a situação porque enfraquece e mina a disposição.

A melhor atitude é ativar o princípio que substitui imediatamente toda a negatividade por positividade. Tudo aquilo que o amedronta e aparentemente vai engoli-lo, de repente se torna valentia, calma, confiança, arrojo, audácia.

A forma mais eficaz é interromper o processo de conexão de longo prazo dos neurônios e criar novas ligações neurais positivas. Parece um processo difícil. Mas o Budismo de Nichiren Daishonin praticado na SGI simplifica e apresenta uma solução viável, eficiente e acessível a todos: o Nam-myoho-renge-kyo. A recitação do daimoku cria as conexões positivas de “longa data”. Somadas à oração, as atividades da SGI – reuniões, prática do shakubuku, que estimulam a revolução humana, criam a “rede neural da felicidade”.

O budismo propõe uma prática diária, de manhã e à noite, pois a interrupção do processo de configuração mental faz os neurônios se desconectarem das novas ligações positivas. A repetição desta prática é fundamental.

Essa mudança de comportamento baseada na prática do daimoku, aliada à revolução humana, gera circuitos cerebrais que crescem como resultado do esforço. Isso será repetido no dia seguinte com ainda mais certeza. Diariamente, você amplia e se fortalece até o pensamento ficar mais forte que sua realidade.


 As maravilhas do cérebro


O presidente Ikeda comenta: “O cérebro humano é frequentemente considerado como o próprio universo em miniatura em virtude de seu potencial ilimitado. A chave está em como extrair esse potencial. Quando observamos nosso corpo em funcionamento, podemos dizer que ele lembra uma enorme indústria farmacêutica. Nosso corpo produz o próprio remédio e suas drogas e possui a habilidade de produzir saúde e bem-estar. É de fato um microcosmo verdadeiramente maravilhoso (...) Quando recitamos o Nam-myoho-renge-kyo e focalizamos nossa atenção no Gohonzon, nossa vida e o universo se unem como engrenagens de uma máquina funcionando harmoniosamente com perfeita precisão, e passamos a seguir na mesma direção da felicidade e da realização. Entramos em ritmo com o universo nos 365 dias do ano”.

 A hora da grande virada


Não há necessidade de fugir das dificuldades. A melhor estratégia é convertê-las em energia vital e boa sorte.

“Enquanto viver, existirão infindáveis sofrimentos e desafios como a doença, a morte, os problemas de relacionamentos, as insatisfações por não obter aquilo que se deseja etc. Não há como fugir deles. São realidades inexoráveis da vida. A prática da fé, o daimoku, é a força que realiza infalivelmente a ‘transformação de veneno em remédio’. O sofrimento do ‘veneno’ transforma-se no remédio chamado ‘felicidade’. Os problemas transformam-se em fonte de iluminação e felicidade. Quanto maiores os problemas e sofrimentos, maior a felicidade alcançada. Essa é a força do Nam-myoho-renge-kyo e, por essa razão, quem recita Nam-myoho-renge-kyo não tem medo de nada porque não há o que temer”, afirma Daisaku Ikeda.

O interessante é que quanto maior o desafio, maior a lenha e mais alta a chama. Quanto mais se avança para cima do problema munido de daimoku, maior o brilho da fé e mais pessoas se inspiram em você, criando uma espiral de positividade que muda vidas, muda realidades e transforma o mundo. E, quem diria, o gatilho de tudo isso são as dificuldades. E você, querendo correr delas!


Fontes:

Terceira Civilização, ed. 568, 12 ed. 2015, p. 16

Brasil Seikyo, ed. 1484, 14 nov. 1998, p.3

Brasil Seikyo, ed. 1.222, 17 abr. 1993, p. 4

Brasil Seikyo, ed. 2325, 28 maio 2016, p. C2/C3
TAGS:JUVENTUDE

• comentários •

;