A lógica budista a respeito dos benefícios
  • CONHEÇA O BUDISMO

A lógica budista a respeito dos benefícios

Triunfar sob as circunstâncias é a vantagem da nossa prática

Benefício é a capacidade individual de produzir valor independentemente da realidade que se vive, ou seja, de realizar a própria revolução humana em meio à realidade. O benefício da prática budista é viver plena e satisfatoriamente sob quaisquer circunstâncias.


O verdadeiro benefício para o budismo é a purificação e a mudança no âmago da vida.

A questão não é se por meio do daimoku se consegue conquistar algo material ou não. Mas se essa pessoa consegue ou não produzir grande valor interno (como coragem, alegria, satisfação) enquanto busca esse objetivo. Se essa busca gera valor, isso é benefício. Se gera sofrimento, é negativo.


Na série “Sabedoria do Sutra do Lótus”, consta: “Alguns interpretam ‘benefício’ de forma errada, considerando-o como uma indicação da preocupação com os bens materiais e, com base nisso, menosprezam o budismo, tratando-o como uma religião inferior. Mas a doutrina budista do benefício é um ensinamento que tem a ver essencialmente com a purificação e a transformação da própria vida”.


Cada um tem uma lista de “desejos mundanos” a ser realizada que ultrapassaria uma folha (alguns encheriam até um caderno). Por meio da prática budista esses desejos se tornarão realidade? Se a prática dessa pessoa conseguir eliminar o sofrimento de não ter tais coisas e ainda assim gerar uma imensa satisfação pelo simples fato de estar vivo e lutando por essas questões, então, será a causa de conquistas em todos os níveis.


Citando um exemplo clássico: uma determinada pessoa deseja uma casa nova para morar com a família. Se esse desejo é a causa de uma profunda e espontânea transformação interior por meio da prática, então, o benefício apareceu. O importante é essa pessoa conseguir a força interna para conquistar o que deseja.


Mas aí pode surgir um impasse: como tornar o “eu” uma fortaleza capaz de não se abalar diante dos problemas a tal ponto que a própria circunstância (não importa qual) seja motivo de felicidade? Simples: recitando o Nam-myoho-renge-kyo e realizando o shakubuku.


Porque realizar essas ações (orar e propagar) com a “mesma mente que Nichiren” significa agir em exato acordo com o Buda e, então, conseguir os mesmos efeitos de um buda.

Uma vez mais, o presidente Ikeda atesta essa ideia: “Nesse sentido, ser capaz de recitar daimoku, propagar o ensino de Daishonin e trabalhar pelo kosen-rufu — isso em si é o maior dos benefícios".


O objetivo do Budismo Nichiren é capacitar a pessoa a desenvolver um mundo interior rico e abundante de força vital. A chave está na maneira com que ela ora ao Gohonzon, que é a fonte de toda essa energia. O maior benefício de um ser vivente é descobrir e saber utilizar o poder de gerar valor e felicidade a qualquer momento.


O presidente Toda definia o Gohonzon como uma grande fonte de benefícios. E ele dizia que os benefícios surgem de acordo com a intensidade da fé no momento de praticar diante do Gohonzon. A chave da obtenção dos benefícios está no comportamento do praticante diante da vida. Essa atitude faz toda a diferença e torna possível conduzir uma vida criativa e plena.



Fonte: Brasil Seikyo, ed. 2.034, 08 maio 2010, p. A4

TAGS:CONHEÇA O BUDISMO

• comentários •

;