As parábolas budistas são fonte encorajadora de sabedoria e benevolência
  • CONHEÇA O BUDISMO

As parábolas budistas são fonte encorajadora de sabedoria e benevolência

Essas histórias desempenham um papel fundamental

A Soka Gakkai iniciou uma revolução na maneira de propagar o budismo adotando o mesmo método do Sutra do Lótus.

As parábolas desempenham um papel fundamental não somente no capítulo “Parábolas”, mas também em todo o Sutra do Lótus. Como consta no capítulo “Meios”, “As marcas da extinção tranquila inatas em todos os fenômenos / não podem ser explicadas em palavras". “A Lei infinitamente profunda para a qual o Buda despertou é muito difícil de ser expressa. Apesar disso, se essa iluminação permanecesse presa no coração do Buda, o caminho para o estado de buda para todos os seres vivos ficaria bloqueado”, comenta o líder da SGI, Daisaku Ikeda.

O Buda usa parábolas ao pregar a Lei a fim de abrir o caminho da iluminação para todos os seres vivos.

A prova da fé que manifestamos em nossa vida representa as parábolas ou ilustrações das virtudes a serem obtidas ao se abraçar a Lei Mística. Essa prova é um testemunho eloquente da veracidade da Lei Mística.


Por que o Sutra de Lótus é tão rico em parábolas e analogias?

Uma razão aparente é a estima geral pelas parábolas e metáforas no pensamento indiano, mas a razão mais importante é que o Sutra do Lótus é um escrito que fala para as pessoas.

E, de fato, as maravilhosas parábolas do Sutra têm encantado e maravilhado muitas pessoas, transcendendo as fronteiras e as épocas. Entre os chineses, por exemplo, a fé no Sutra do Lótus estimulou o desenvolvimento de vários tipos de literatura popular, recontando os benefícios daqueles que louvaram o Sutra do Lótus e relatando a vida dos sinceros adeptos e praticantes do sutra. Naturalmente, foi a acessibilidade e a natureza iluminadora das parábolas do Sutra do Lótus que levaram ao surgimento dessa literatura popular.

Embora não haja provas suficientes para traçar uma firme conclusão, alguns eruditos afirmam que o Sutra do Lótus chegou a influenciar até mesmo o Novo Testamento da Bíblia. Por exemplo, a história do filho pródigo no Evangelho de Lucas é muito similar à parábola do homem rico e seu filho pobre, que aparece no capítulo “Fé e Compreensão”.


Histórias reais

Os grandes exemplos de Shijo Kingo, dos irmãos Ikegami e de outros discípulos de Nichiren Daishonin, os quais enfrentaram e superaram enormes dificuldades em sua busca da fé, são extraordinários encorajamentos para nós que enfrentamos problemas semelhantes.

O mesmo se aplica a nós. Nossas experiências individuais de triunfo sobre os problemas dão coragem e esperança para muitos outros. A história de nossa vitória pessoal, em outras palavras, torna-se uma parábola que expressa o poder da Lei Mística. E aqueles que ouvem nossa experiência podem ainda compartilhá-la com outros.

O primeiro presidente da Soka Gakkai, Tsunesaburo Makiguchi, iniciou o movimento de reuniões de palestra da Soka Gakkai, o qual se centraliza no fato de os membros compartilharem suas experiências da fé com os outros. Ele não ensinou a Lei Mística por meio de teorias abstratas e difíceis, mas, sim, por experiências pessoais facilmente compreensíveis.

Certa vez, um educador explicou que quando se utiliza parábolas no ensino os alunos seguem a mesma linha de pensamento que o professor. Em outras palavras, os estudantes não são meros receptores passivos de informação, são encorajados a engajarem-se no processo mental ativo de pensarem por si próprios.

Cada experiência individual é uma parábola da Lei Mística que tudo permeia. E as atividades da Soka Gakkai baseadas nessa troca de experiências pessoais, por exemplo, são representações contemporâneas de parábolas do Sutra do Lótus – um infinito tesouro de parábolas que transcende as épocas e une as pessoas.


Fonte:
Brasil Seikyo, ed. 2.000, 22 ago. 2009, p. A5
TAGS:CONHEÇA O BUDISMO

• comentários •

;