Força jovem
  • CONHEÇA O BUDISMO

Força jovem

Presidente Ikeda vem chamando a organização: “Soka Seinen Gakkai”. “Seinen”, na tradução literal, é jovem. Tal expressão revela o discípulo que cumpre seu juramento

6 de janeiro de 1951

Nesse importante dia, o jovem de 23 anos, Daisaku Ikeda, foi chamado pelo seu mestre, Josei Toda. Em meio à crise sem precedentes, Toda confiou ao discípulo o futuro da Soka Gakkai, dos negócios e até mesmo da sua família. O mestre transferiu ao discípulo a responsabilidade pelo futuro, pois corria, inclusive, risco de morte caso fosse aprisionado. Naquele dia, nasceu uma nova Soka Gakkai.


Juramento compartilhado

O discípulo assumiu por completo a responsabilidade do kosen-rufu. Com base no juramento ao mestre, transformou a Soka Gakkai e construiu uma nova história: “Eu era praticamente a única força jovem capaz de derrubar todas as barreiras, fazendo do ideal do mestre meu próprio coração. Tomei a liderança das batalhas do kosen-rufu consideradas perdidas e impossíveis de ser revertidas. E produzi excelentes resultados. (...) Lutei e venci unicamente pelo bem do meu mestre”, relembra o presidente Ikeda.


Como é possível?

Como é possível para um jovem comum de 23 anos, pobre, doente, praticante do Budismo Nichiren havia quatro anos, vencer uma barreira tão grande em tão pouco tempo? E mais, herdar o ideal do mestre e construir a SGI em nível mundial [12 milhões de membros em 192 países e territórios]? Resposta É a “força jovem”. Ou seja, a energia vital do estado de buda do mestre, fluindo na vida do discípulo que vive pelo juramento seigan.


Energia vital

A vida e o kosen-rufu são desafiadores. É a energia vital da força jovem que transforma, revitaliza e harmoniza o ambiente. Manifestar a força jovem é a própria vitória. O que comprova se um discípulo vive ou não pelo juramento seigan é a força jovem manifestada por ele.


Força jovem é a energia vital do estado de buda ativada na vida do mestre. A forma como o mestre transmite seu testamento (seu estado de vida) é por meio da força jovem. Ele cria uma situação que faz o discípulo manifestar o mesmo estado que o dele.


Raciocínio prático

O mestre confia ao discípulo uma missão que somente o mestre cumpriria. O que capacita o discípulo a cumprir essa missão é a força jovem que brota do juramento de tornar real o desejo do mestre. Pelo princípio da unicidade de mestre e discípulo, ao surgir essa força, o discípulo adquire as qualidades do mestre e torna-se capaz de cumprir a missão. À medida em que vence, a vida do discípulo se desenvolve e adquire brilho próprio. Essa é forma mais rápida e eficaz de treinamento. “Myo, ou místico, corresponde a mestre; e ho, ou lei, a discípulo. Eles são indivisíveis. Renge, ou flor de lótus, simboliza a simultaneidade de causa e efeito. A causa refere-se aos nove mundos e, portanto, ao discípulo, e o efeito indica o mundo do estado de buda e o mestre. Assim, o mestre e o discípulo são um só", explica o presidente Ikeda.


Shitei funi

Mestre e discípulo são duas pessoas distintas. Quando o discípulo age, inspirado no desejo de corresponder ao mestre, manifesta a força jovem. Mestre e discípulo tornam-se unos quando o desejo de ambos iguala-se.


Unicidade é unir um coração com outro, duas mentes. Isso explica a frase “O que importa é o coração” e “Tenha a mesma mente que Nichiren”. O que importa é que o coração do discípulo seja o do mestre. Que seu estado de vida seja o do mestre.


Unidos em propósito

Presidente Ikeda ensina: “O caminho da unicidade de mestre e discípulo significa levantar-se e lutar com a mesma mente e com as mesmas orações que o mestre. (...) O Sutra de Lótus clama para que mestre e discípulo trabalhem juntos com a força da ferocidade de leão, unidos em coração, mente e propósitos, para transformar o estado interior de toda a humanidade”.


Como viver a força jovem?

Força jovem é colocar em prática tudo o que o mestre ensina, sem negligenciar nenhum ponto. Essa é a maneira de viver de um discípulo.


Algumas pessoas tendem a dar desculpas, dizendo: "Meu mestre disse-me isto e aquilo, mas estou passando por tal e tal situação; portanto, não poderei fazer isso exatamente como ele deseja”, ou “Meu mestre me diz isso, mas a realidade é outra”.


Não corte o fluxo

O presidente Ikeda responde: “Isso [utilizar os argumentos acima] é cortar a poderosa energia entre mestre e discípulo. Ao agirmos dessa forma, interrompemos o fluxo da energia vital e, como resultado, impedimos a manifestação da verdadeira força [força jovem]”. E mais: “Todos os discípulos e leigos apoiadores de Nichiren devem recitar o Nam-myoho-renge-kyo com o espírito de diferentes corpos e uma única mente, transcendendo todas as diferenças entre si tornando-se tão inseparáveis quanto o peixe da água. Esse laço espiritual é o alicerce para a transmissão universal da suprema Lei da vida e da morte”.


Fonte: Brasil Seikyo, ed. 2.091, 9 jul. 2011, p. A6
TAGS:CONHEÇA O BUDISMO

• comentários •

;