Música é um ritmo cósmico
  • CONHEÇA O BUDISMO

Música é um ritmo cósmico

O estado de buda também representa o som do universo

A música é uma linguagem universal; um ritmo cósmico. Conhecer profundamente a música é ter uma visão mais próxima da verdadeira fonte da cultura humana. É uma busca que leva à quintessência da humanidade. O amor pela música une as pessoas e fortalece o ritmo da paz.


Os sons musicais de boa qualidade têm o poder de encantar, apaixonar, inspirar e impulsionar o coração. O presidente Ikeda analisa por diversos ângulos a importância da música, e a relação desta com o budismo, desde a sua origem:

Sutra do Lótus, o som do universo

O estado de buda também representa o som do universo, as vozes de todos os seres. Todas as atividades, desde o movimento dos planetas até o dos átomos e das moléculas, são governadas por algum tipo de ritmo ou princípios musicais. Este é um conceito muito importante. Depende de nós quão interiorizamos essa “música universal”. O escultor Auguste Rodin (1840–1917) disse que a arte é o reflexo da natureza nos seres humanos. É vital polirmos nosso espelho interior. Quando afinamos e exercitamos o “instrumento” do “eu”, fazemos que o maravilhoso som do Universo vibre em nossa vida. A partir daí, reverbera e ecoa. A prática budista nos ensina como fazer isso.


Originariamente, os próprios sutras eram recitados de uma maneira musical. E foi dessa forma que eles tocaram primeiro o coração das pessoas. De acordo com um antigo sutra,  o buda Shakyamuni descreveu os benefícios do uso da própria voz, dizendo que evitava a fadiga, melhorava a memória, rejuvenescia a disposição e ajudava na cognição.


Pensando nisso, o local de nascimento do erudito budista Kumarajiva (344-413) ficou famoso por causa de sua música. Kumarajiva tinha um bom ouvido para música. Caso contrário, o texto do sutra com certeza não teria esse ritmo primoroso. Muitos instrumentos musicais são mencionados no Sutra do Lótus.


O Sutra do Lótus está cheio de música. Partituras musicais da China Tang, época em que o Sutra do Lótus floresceu no país, foram encontradas em Dunhuang. Elas têm mais de mil anos e especialistas estão tentando determinar exatamente de que tipo de música são essas partituras. Não apenas indicam o tom de cada nota, como até mesmo o ritmo. Alguns até já tentaram tocá-las.


De qualquer forma, o Sutra do Lótus abarca o grandioso som do universo. Ele contém o ritmo fundamental, a melodia e os acordes do universo. A música é confortadora, liberadora e também fonte de crescimento. O presidente Toda costumava dizer: “Onde quer que as pessoas prosperassem em toda a história, sempre se podia ouvir música”. Igualmente, na SGI, enquanto continuarmos a cantar com vigor, a organização continuará a se desenvolver. O mesmo acontece com a sociedade. Poderíamos dizer que o futuro de uma sociedade assolada por lamentos e queixas deve ser triste. Em contrapartida, uma sociedade na qual as pessoas cantarolam belas canções tem o ritmo do avanço.


Fonte: 
Terceira Civilização, ed. 516, 13 ago. 2011, p. 32
TAGS:CONHEÇA O BUDISMO

• comentários •

;