“Myoho” – o real significado de ‘místico’
  • CONHEÇA O BUDISMO

“Myoho” – o real significado de ‘místico’

As pessoas falam de poderes místicos como uma capacidade de voar sobre as nuvens ou coisas absurdas desse tipo. Mas os poderes místicos aos quais nos referimos são muito superiores. O segredo e os poderes místicos do Nam-myoho-renge-kyo conduzem todas as pessoas à felicidade.”


A palavra myoho literalmente significa Lei Mística. Myo é místico e Ho é lei ou ensino. Myoho também pode assumir vários significados ligados a diferentes princípios básicos do budismo.


O termo “místico” utilizado no Budismo de Nichiren Daishonin não deve assumir um significado de oculto, mágico, secreto ou transcendental. Místico é a descrição, a qualidade, o adjetivo da Lei fundamental do universo. Místico também significa muito bom, excelente, perfeito. Como definir uma Lei tão profunda, espetacular e completa? Diante disso, o budismo a chama de mística! É como se dissesse: “Que lei sensacional, é uma lei ‘mística!’”


O presidente Ikeda afirma: “A Lei, ou realidade fundamental, é descrita como myo porque é infinitamente profunda e transcende todos os conceitos ou formulações da mente humana. [...] O buda Nichiren Daishonin esclarece sobre este ponto: ‘Qual é, então, o significado de myo? Myo é simplesmente a misteriosa natureza de nossa vida a cada instante, que a mente não consegue compreender e que não pode ser expressa em palavras’”.


Myoho trata exatamente da maneira como você e todas as pessoas podem manifestar o estado de buda. Isso é místico porque foge da descrição em palavras. Uma vez que cada um é diferente, é impossível estabelecer explicações ou fórmulas racionais. E também isso seria inútil por não possuir resultados práticos. No entanto, a prática do Nam-myoho-renge-kyo permite que qualquer pessoa estabeleça uma ligação direta com a Lei. Por sua vez, essa ligação faz manifestar de maneira imediata o estado de buda.


A qualidade da Lei, acima do excelente, se dá pelo fato de que todas as pessoas podem atingir o estado de buda, desde que sejam capazes de estabelecer uma relação direta com a Lei do Nam-myoho-renge-kyo. Como se faz isso? Recitando o Nam-myoho-renge-kyo com fé resoluta, ou seja, uma fé determinada, firme, ativa, audaz, corajosa e decidida.


“Místico” não significa, em absoluto, capacidades sobrenaturais ou transcendentais no sentido em que esses termos são geralmente usados.

O presidente Ikeda cita: “Nichiren Daishonin afirma que não devemos dar crédito a poderes sobrenaturais ou especiais. [...] Ele diz: ‘Não se deve basear em poderes ocultos ou sobrenaturais'".

“Pode-se dizer o mesmo de Shakyamuni. Quando o rei Ajase perguntou-lhe qual a diferença entre o budismo e o bramanismo, ele respondeu: ‘Meu ensino adverte que uma pessoa não deve deixar-se levar por estranhas magias com fogos ou por práticas para prever o futuro a partir dos sons emitidos pelos animais'", diz.


Transformar e revolucionar a vida, agora, do sofrimento para a total felicidade. Essa é a “maravilha” do budismo. Mas é algo natural, sem misticismo, provindo de uma forte fé ao recitar o Nam-myoho-renge-kyo. O presidente Ikeda diz: “O ‘segredo do Buda e seus poderes místicos’ significam a capacidade de possibilitar às pessoas desfrutarem um estado de vida de suprema felicidade. É o poder para elevar a condição de vida de todos. E esse é precisamente o maior poder benéfico do Gohonzon”.


O Budismo de Nichiren Daishonin explica a vida como Myoho, ou Lei Mística. E ensina uma maneira prática de utilizar o poder dessa Lei: basta recitar o Nam-myoho-renge-kyo com profunda fé e atinge-se o mais elevado estado de vida humano — o estado de buda. Este gera uma colossal alegria que, imediatamente, o habilita a alterar os fenômenos, as circunstâncias e a realidade da sua vida.



Fonte: BS, ed. 2.044, 17 jul. 2010, p. A5

TAGS:CONHEÇA O BUDISMO

• comentários •

;