O estudo é a base da expansão da SGI
  • CONHEÇA O BUDISMO

O estudo é a base da expansão da SGI

Quem estuda o budismo é um filósofo da vida diária

Estudo para agir

“O estudo do budismo é a maior ‘arma’ para a vitória”, orienta o presidente da SGI, Dr. Daisaku Ikeda . E o segundo presidente da soka Gakkai, Josei Toda, incentivou uma senhora que dizia sempre se esquecer do conteúdo dos estudos: “Não importa quantas vezes a senhora se esqueça, se continuar a comparecer e ouvir essas explanações, algo indestrutível permanecerá em sua vida.

Esse acúmulo intangível se tornará fonte de grande força para a senhora”. Estuda-se o budismo para acumular o tesouro do coração e usá-lo diante de desafios reais. O estudo budista não é intelectualidade vazia. Na SGI, praticamos o “kyogaku de ação” — o estudo para agir. Por isso, o Mestre nos denomina “filósofos da vida diária”.


Tudo começa e termina na reunião de palestra

Desde a sua origem, o budismo sempre foi uma religião do diálogo e o estudo existe para inspirar as pessoas e mostrar o caminho mais curto para que transformem a realidade.

O presidente Ikeda, afirma: “O budismo começou a partir de um tipo de reunião de palestra [reunião de diálogo]. Quando Shakyamuni compartilhou pela primeira vez a essência de sua iluminação com outras pessoas, ele não o fez diante de uma grande assembleia, mas, sim, na forma de uma pequena ‘reunião de palestra’. Ele se sentou com cinco velhos amigos e conversaram de modo familiar e informal. Essa reunião de palestra, na qual os laços de mestre e discípulo foram primariamente formados, é realmente o início do budismo”.


A estratégia de Daishonin

Assim como Shakyamuni, Nichiren Daishonin propagava o budismo em meio a encontros em que se discutia soluções para os desafios pessoais e sociais. Esses animados encontros não eram formais nem cerimoniosos e aconteciam na casa dos praticantes.

Hoje, na SGI, também praticamos o budismo em exato acordo com o Buda. Os Três Mestres da Soka Gakkai também propagaram amplamente o budismo de pessoa a pessoa dialogando. A Soka Gakkai sempre adotará este método de prática porque é o mais eficaz quando se trata de manifestar o estado de buda.


O diálogo e a prova real

O estudo budista não se limita ao aprendizado solitário de teorias. É realizado por meio do diálogo e da prova real na vida diária. Como herdeira desse espírito comprometido com o diálogo, a SGI defende que no estudo feito por meio do diálogo está o caminho da autêntica prática budista.

A reunião de palestra é o auge da prática budista porque nela acontece o real fórum do encorajamento humano no qual o estudo toma forma e cumpre seu papel: melhorar a vida das pessoas do povo.


Não é preciso ficar traumatizado

Muitos de nós somos “traumatizados” por causa de experiências ruins nos anos escolares. Diversas vezes associamos o estudo com provas amedrontadoras, cálculos indecifráveis e conteúdos que nunca são utilizados na vida diária.

Mas tudo isso são “traumas” fáceis de superar. Ao tomar contato com o alegre estudo budista na SGI, descobrimos um novo mundo: nós nos deparamos com um método no qual o estudo é orgânico, vivo, aplicável e revigorante.


Mudança total

Ao aprender sobre shakubuku, tomamos coragem e de fato fazemos shakubuku. Compreender o estado de buda, por exemplo, é experimentá-lo na vida real. Entender a revolução humana provoca simultaneamente uma mudança de mentalidade e energia que altera o cotidiano.

Estudar o budismo altera a vida diária e eleva a fé no Gohonzon criando uma espiral de alegria que muda nosso cotidiano. O Dr. Ikeda orienta: “Não se torna feliz apenas porque se conhece o budismo. A chave é o que se faz com esse conhecimento ou com que propósito estuda o budismo”.


Estudamos para reagir corretamente

Estudamos os princípios budistas para termos força e sabedoria no momento de reagir ante às dificuldades. O presidente Ikeda ensina: “O estudo do budismo ensinado por Toda sensei [segundo presidente da Soka Gakkai] sempre foi o ‘estudo do budismo na prática’ e ‘estudo do budismo pelo kosen-rufu’. Peço, mais do que nunca, que todos estudem e aprendam ao máximo sobre a justiça do budismo e solidifiquem o ponto primordial eterno da sua vida para jamais serem derrotados ou se afastarem da fé".

Diante de um problema financeiro, por exemplo, qual princípio devo pôr em prática? Como o Mestre pensou e agiu quando passou por isso? Esse é o “kyogaku de ação” — você estuda, incorpora o budismo e o aplica em cada tarefa até que a situação mude.


Aprendendo a jamais ser derrotado na vida diária

O estudo budista provoca reação imediata. Estudar é agir. Estudamos sobre maldade, por exemplo, para decifrá-la e eliminá-la. Analisamos criteriosamente os “três obstáculos e as quatro maldades” para quê? Não importa muito se você decorou o nome de cada um deles. O que importa é assimilar que cada um é uma força negativa específica que surge para tirá-lo do caminho da felicidade.

Ao sentir o impacto de uma dessas maldades, você reage: “É uma das quatro maldades! Não há motivo para desespero!". Nesse sentido, o estudo ajusta e fortalece sua forma de reagir.


Sólida convicção diante de tudo

O Dr. Ikeda orienta: “Ao incorporarmos os profundos princípios filosóficos, adquirimos sólida convicção de que a esperança e a paz residem em nosso próprio coração, e nos dedicamos à própria felicidade e à dos outros. O estudo faz nascer a coragem para enfrentar dificuldades por meio do exemplo de Daishonin, que triunfou sobre enormes obstáculos e provações".

O estudo na Gakkai é empolgante. Jamais se prenda a detalhes teóricos — o importante é estudar com um amplo estado de vida, se encantar e aprender. Quanto mais se toma contato com as obras do presidente Ikeda e os ensinamentos de Daishonin, mais forte fica nossa convicção e maior nossa certeza de vitória.



Fonte: Brasil Seikyo, ed. 2.367, 15 abr. 2017, p. C2-C3

TAGS:CONHEÇA O BUDISMO

• comentários •

;