Sinceridade –  a linguagem do coração
  • CONHEÇA O BUDISMO

Sinceridade – a linguagem do coração

De acordo com o budismo, sinceridade é quando a pessoa manifesta a Lei Mística em seu comportamento como ser humano. Ela manifesta sua iluminação em meio à realidade diária


Ações humanísticas

O presidente da SGI, Dr. Daisaku Ikeda, afirma: “Nichiren Daishonin observa que ‘A Lei não se propaga por si mesma. Por ser propagada pelas pessoas, tanto as pessoas como a Lei são dignas de respeito’. Conforme essa frase, a grandiosidade da Lei ou do ensinamento só pode ser difundida quando for expressa nas ações humanísticas e no comportamento daqueles que a abraçam”.


Comportamento de um buda

Ser sincero é comportar-se como um buda. Esse comportamento é a própria iluminação. Em outras palavras, é viver como um ser humano, manifestando seu potencial ao máximo. “Todas as pessoas são budas e dignas de respeito.” Uma pessoa que reconhece essa verdade em si mesma e nos outros, e traduz esse reconhecimento em suas ações, é sincera.

Despertar o estado de buda em si mesmo significa servir sinceramente aos outros. Ao reverenciar o estado de buda de outra pessoa com sinceridade, o estado de buda dela o reverencia de volta.


Comprometido com a fé

Só nossa mente ou nosso coração são capazes de se integrar e compreender o universo. Esta é uma verdade mística. Por isso, nossas orações precisam ser realizadas de coração. Uma pessoa sincera é comprometida com sua fé e com a filosofia budista. Ela se esforça para pôr o budismo em prática, dando o melhor de si.


Oração e sinceridade

Sobre a oração, o presidente Ikeda afirma: “A oração é algo único dos seres humanos. Os animais não têm a mesma capacidade. A oração é uma prova sublime de nossa humanidade. Na Antiguidade, as pessoas reverenciavam a imensidão ilimitada da natureza. Pode ser que elas reverenciassem profundamente a grandiosa presença que estava além da inteligência humana, e que a partir disso é que surgiu naturalmente o espírito da oração. A oração é a purificação de nossos sentimentos sinceros. A religião nasceu dessa oração”.


Shakubuku, o comportamento de um buda

Uma vez em contato com a Lei Mística, é preciso manifestá-la na realidade diária. Isso é possível por meio do comportamento. Mas como um buda se comporta? Um buda age o tempo todo com o espírito de shakubuku. O budismo revela que o comportamento de um buda é a prática do shakubuku.


Diálogo de coração a coração

Um diálogo sincero e verdadeiramente humano. Esta é forma com que uma pessoa compreende a outra com perfeição. Isto é shakubuku: compreender a outra pessoa e a si mesmo como um buda. Os pensamentos, as palavras e as ações de um buda são, o tempo todo, inspirados por essa convicção de que todos, inclusive ele, são budas.


O importante é a sinceridade

“Tudo se resume na autenticidade. Não é a eloquência que interessa. Na propagação, o que importa é a sinceridade. O presidente Toda sempre dizia: ‘Quando fazem shakubuku, vocês criam uma eterna confiança’", cita o Dr. Ikeda.


Shakubuku sincero

A prática sincera do shakubuku é quando nosso comportamento faz shakubuku. Por meio de nossa conduta humana transmitimos respeitosamente a Lei Mística. Esta é a forma correta de fazer shakubuku. Mais do que palavras, são as ações e a sinceridade que importam. “Seja homem ou mulher, ser nobre ou vil depende unicamente do que a pessoa tem feito. São as ações e a sinceridade de uma pessoa que importam. Este é o espírito de Shakyamuni", finaliza o presidente Ikeda.



Fonte: Terceira Civilização, ed. 520, 10 dez. 2011, p. 46
TAGS:CONHEÇA O BUDISMO

• comentários •

;