Aqueles que incentivam os amigos são admiráveis
  • ARTIGOS

Aqueles que incentivam os amigos são admiráveis

Trechos do capítulo “Novo Frescor”, vol. 29 do romance Nova Revolução Humana

Aconteça o que acontecer, protejam os companheiros


No dia 12, o Gongyokai com participação livre, comemorando a inauguração do Centro Cultural de Mizusawa, foi realizado por diversas vezes até o entardecer. Em todas as sessões, Shin’ichi Yamamoto conduziu o gongyo e proferiu palavras de cumprimento. Ele entrou no círculo das pessoas, trocou aperto de mãos e, atendendo aos pedidos, também tocou piano.

Em cada realização da atividade, ele disse: “Sinto muito estar ausente nos últimos tempos. Tenho enviado daimoku todos os dias pela saúde, longevidade, segurança e tranquilidade dos senhores de Iwate. O nosso coração está sempre junto”.

E, de vários ângulos, ele falou sobre a postura que devemos ter na prática da fé:

— Rei leão é aquele que não se esquece da coragem. Aconteça o que acontecer, protejam os companheiros, os amigos da localidade, avançando bravamente tendo como base a forte oração ao Gohonzon. Isso é ser budista. A prática da fé é a vida diária. O aspecto da vitória na fé é trilhar a vida transbordante de boa sorte, cada um à sua maneira, normal, calmo ou de rico bom-senso. Com a disposição de renovar a fé e a vida, devem usar a energia vital de forma prazerosa, iniciando um novo desafio — é nisto que existe o caminho da eterna juventude. Solicito a todos que se tornem “o pilar da localidade”.

Ele também orientou, lendo a frase do escrito O Inverno Nunca Falha em se Tornar Primavera “Suponha que um casal tenha sete filhos e um deles caia doente. Apesar de os pais amarem todos os filhos igualmente, eles se preocupam mais com o que está doente” (CEND, v. I, p. 559):

— A benevolência do Buda é igual para todos os seres vivos, mas ela se preocupa especialmente com as pessoas desprovidas. Assim sendo, os senhores que se empenham bravamente na prática da fé num ambiente difícil, não há absolutamente nenhuma dúvida de que obterão uma proteção ainda maior do Gohonzon, e serão banhados por sua grande benevolência. Tenham essa grande convicção e comprovem grandiosos benefícios sem falta. Sejam envoltos por extraordinária boa sorte. A felicidade de vocês e as comprovações na prática da fé se tornarão o anúncio da chegada da primavera da grande vitória em Iwate.

A vida dos companheiros de Iwate incandesceu em resposta à determinação de Shin’ichi que desejava a felicidade de todos. O brado feito com coração sincero traz a ressonância da alma.

Uma pessoa admirável é aquela que recita o daimoku


Ao realizar o Gongyokai nos períodos da manhã e da tarde trocando inúmeros aperto de mãos com os participantes, Shin’ichi Yamamoto ficou com a mão inchada e avermelhada.

Colocando gelo sobre a mão na sala da administração, ele se preparava para a Reunião de Líderes Comemorativa da Primavera da Província de Iwate prevista para aquela mesma noite.

No entanto, chegou um comunicado de que a cerimônia de fundação da primeira turma do grupo Miraikai de Iwate logo começaria. Era um grupo de aprimoramento de pessoas de valor formado por mais de dez estudantes dos ensinos fundamental II e médio. Shin’ichi, dizendo “Vou me encontrar com os ‘emissários do futuro’”, saiu imediatamente da sala da administração e tirou foto comemorativa com os integrantes. Em seguida, participou da Reunião de Líderes Comemorativa de Primavera.

Após o gongyo e depois das palavras de cumprimento dos coordenadores da província e do vice-presidente, Shin’ichi exerceu, ele mesmo, a função de apresentador:

— Boa noite! Vamos conduzir a reunião alegremente. Por ser um encontro da família Soka de Iwate, não é preciso se importar com formalidades, podem ser vocês mesmos. Já devem estar cheios das conversas dos líderes centrais vamos mudar para o formato de reunião de diálogo. Por favor, alguém se manifeste. Algum responsável de distrito profira palavras como representante!

Incentivados pelo presidente Yamamoto, um responsável de distrito expôs seus planos e decisões que tinha no coração. Depois, cerca de dez pessoas, responsáveis de distrito, de comunidade, de bloco e líderes da Divisão dos Universitários (DUni), uma após outra se posicionaram ao microfone.

Houve pessoas que falavam radiantes sobre as decisões e também as que apresentavam relato de benefícios.

Shin’ichi, assentindo com a cabeça e aplaudindo inclinando-se para a frente, disse: “É isso mesmo! Maravilhoso!”. Surgiam risos ocasionais e o local da reunião foi envolvido por um ambiente alegre e harmônico e o coração de todos foi se fundindo num só.

Então, chegou a hora da orientação de Shin’ichi.

— Quem é a pessoa admirável? Não é por ser líder que se torna admirável. Uma pessoa admirável é aquela que recita o daimoku. É a que se empenha dedicadamente ao shakubuku e à propagação dos ensinamentos budistas desejando a felicidade dos demais. É aquela que corre para incentivar os amigos. É exatamente essa pessoa, a mais nobre, venerável e verdadeira discípula do Buda: são de fato os senhores, que derramam suor em prol do kosen-rufu todos os dias.

Quando despertamos para a missão, o sol brilha em nossa vida


Shin’ichi Yamamoto seguiu citando que a vida é uma luta contra os sofrimentos.

— Como consta no sutra, “Não há segurança no mundo tríplice; é como uma casa em chamas” (LS, p. 191 ou p. 105), podemos dizer que na sociedade real não se consegue prever o futuro, nunca. Isto é insensível e cruel. Por isso, o budismo existe para edificar um eu que, haja o que houver, não é derrotado por nada, para abrir o palácio que existe na vida de cada um e conquistar a felicidade. Talvez se possa dizer que a vida carrega diversas preocupações e ilusões e que é preciso superar todas elas. No entanto, há pessoas que, sem esperança devido aos sofrimentos, acabam sucumbindo e não conseguem vencer. Os senhores que abraçaram o Gohonzon em exato acordo com os princípios de “desejos mundanos são iluminação” e “sofrimentos do nascimento e da morte são nirvana”, independentemente de quais abismos da desilusão venham se defrontar, levantem a cabeça resolutamente e vivam como a fênix cumprindo a sua missão, incentivem os amigos que estão sofrendo e trilhem juntos o caminho da felicidade.

Por fim, ele exortou com energia:

— A Gakkai existe para que os seres humanos, juntos, uns com os outros, vivam com magnificência. É a rede de pessoas para incentivar e animar os amigos, para fazer desabrochar as flores da felicidade no grande solo do coração congelado. Em prol do kosen-rufu, da felicidade e da sociedade, este nobre mundo de harmonia da prática da fé não pode ser destruído.

Todos renovaram a decisão, se conscientizaram de sua missão e iniciaram a nova jornada do kosen-rufu da localidade com passos firmes, de peito erguido vigorosamente em meio aos gélidos ventos.

As atividades realizadas nos dois dias 11 e 12 reuniram muitos membros da região de Sanriku, como Kuji, Miyako, Kamaishi, Ofunato e Rikuzentakada. Dentre eles estava um responsável de bloco pela Divisão Masculina de Jovens (DMJ) de 26 anos, Yuji Motofuji, que veio correndo de Kamaishi. O rapaz se converteu ao budismo quando criança, junto com a família, e seu pai faleceu quando ele estava no terceiro ano do ensino fundamental. Empregou-se numa firma de construção após se formar e cursou o ensino médio nos períodos diurno e noturno. Fazia mais de dez anos que começara a trabalhar, mas a situação financeira da empresa não estava bem, e ele contraiu problemas na coluna devido ao trabalho pesado. Não conseguia ter esperança e estava deprimido. Mesmo assim, participou do Gongyokai de Mizusawa e despertou para a própria missão. Então, as nuvens que cobriam o seu coração se dispersaram.

Fonte:

Brasil Seikyo, ed. 2337, 27 ago. 2016, p. B4
TAGS:ARTIGOS

• comentários •

;