O corajoso exemplo de Natalia Sats
  • ARTIGOS

O corajoso exemplo de Natalia Sats

Em sua autobiografia, a "Mãe do Movimento de Arte Infantil" na Rússia, conta suas lembranças dos encontros com o Dr. Ikeda

Extraído do discurso proferido pelo Dr. Daisaku Ikeda na 6ª Reunião de Regional, em 1996.

O presidente Ikeda e Natalia Sats encontraram-se sete vezes, sendo que a primeira vez foi em maio de 1981, em Moscou. O Teatro Estatal Musical Infantil de Moscou excursionou pelo Japão duas vezes a convite da Associação de Concertos Min-On.


Recebi recentemente um livro de Moscou, uma autobiografia de Natalia Sats , considerada a "Mãe do Movimento de Arte Infantil" na Rússia e amada pelas crianças de todo o mundo. Ela faleceu em 1993, aos noventa anos de idade. Viktor Prokhorov, presidente do Teatro Estatal Musical Infantil de Moscou, fundado por Natalia Sats, enviou-me o livro. Em sua autobiografia, a Sra. Sats também conta suas lembranças de nossos encontros.

A Sra. Sats disse certa ocasião que a visão budista da eternidade da vida que ela havia aprendido comigo dera-lhe uma ilimitada esperança. Hoje, membros da SGI na Rússia, que começaram suas atividades como um distrito há apenas dois anos [em 1994], estão se aplicando diligentemente aos dois caminhos da prática e do estudo. Se a Sra. Sats ainda fosse viva, sei que encontrariam uma simpática defensora.

Quando ela era jovem, seu marido, apesar de ser inocente foi executado durante um dos expurgos de Stalin. Ela mesma foi acusada de um crime e sentenciada a cinco anos de prisão, e boa parte desses anos foram passados em campo de trabalho na Sibéria. Mas, apesar dessa perseguição, ela se recusou a renunciar aos seus princípios e lutou destemidamente contra os opressores.

Encontro de Daisaku Ikeda com Natalia Sats em Tokyo (jul. de 1982)

Respeitar a verdade

Em sua autobiografia, ela relembra as experiências passadas na Sibéria.

Os interrogadores eram desonestos e cruéis. Eles lhe prometeram que seria libertada e retornaria para a família se fizesse falsas declarações que incriminassem seus amigos. Ela lhes disse simplesmente: "Desculpem-me, mas aprendi desde criança a respeitar a verdade. É por isso que jamais comprarei a felicidade de meus entes queridos com uma mentira." Ela sustentou orgulhosamente a sua dignidade como ser humano e viveu uma existência nobre e corajosa.

Nós somos pessoas de fé, e a fé é a suprema convicção. Portanto, nada poderia ser mais triste nem mais mesquinho do que reclamar ou desistir quando encontramos algum pequeno obstáculo no nosso caminho. Daishonin escreveu: "O sábio pode ser chamado humano, mas os insensatos, nada mais são do que animais".


As mulheres são como o Sol

Havia muitas outras prisioneiras inocentes quando a Sra. Sats foi encarcerada. Estavam todas entorpecidas de medo e tristeza com sua situação difícil. Apesar de estar na mesma condição horrível que as outras, ela não se afundou em sua própria tristeza. Imediatamente começou a pensar em como poderia animar suas desesperadas companheiras de cela. Por pensar nas outras, o sol da esperança começou a surgir em seu coração. As mulheres são fortes. As mulheres são como o Sol. A feminista e ativista social japonesa Raicho Hiratsuka (1886-1971) expressou uma verdade universal ao escrever o seguinte: "No princípio, as mulheres eram realmente como o Sol."1.

Em sua autobiografia, a Sra. Sats também escreveu: "Devo ajudar a elas e a mim própria a sobreviver. Devo mudar meu pensamento, tentar acreditar que esta realidade não é de modo algum o fim..."2. A determinação dela era que não importando o quanto sua situação fosse miserável, sua vida ainda não havia acabado e ela lutaria até o fim.


O budismo do presente e do futuro

Certa ocasião, o Sr. Toda disse-me: "Você pode fazer com que a derrota seja a causa para a vitória no futuro. Mas também pode fazer da vitória a causa para a futura derrota." O Budismo de Nichiren Daishonin é o Budismo da Verdadeira Causa, o budismo do presente e do futuro. Nós não vivemos no passado. Estamos sempre desafiando a nós próprios desde o passado até o futuro. "O futuro se encontra a nossa frente! Nós apenas começamos!" - por avançarmos com essa determinação, jamais encontraremos num beco sem saída.

A SGI é uma organização de pessoas dedicadas a concretizar o desejo e o decreto do Buda - criada de acordo com o desejo do Buda. E avançará pela eternidade, para o infinito futuro. Não devemos nos permitir ficarmos excessivamente preocupados com pequenas questões do presente. Observando os elogios e críticas dos outros sob uma perspectiva mais elevada, devemos sempre olhar para o futuro e nos comprometermos firmemente com o eterno progresso.


Transformar as circunstâncias

O budismo ensina o princípio da unicidade da vida e seu ambiente (esho-funi) e que um único momento da vida contém três mil mundos (itinen sanzen).

Ao olhar ao seu redor, a Sra. Sats percebeu que pessoas de talentos variados ocupavam a mesma cela. Nada conseguiriam se ficassem ali se alimentando. Ela decidiu usar as habilidades de cada uma organizando uma escola - uma sala de aula na cela onde poderiam compartilhar o conhecimento que tinham.

A Sra. Sats com seu rico conhecimento teatral, cantava para elas. Certa ocasião, recitou um poema de Pushkin com uma voz tão clara e vigorosa que inspirou a coragem no coração das ouvintes.

A cela era escura e isolada - o que a tornou um local perfeito para estudar! E também servia de teatro, onde as mulheres podiam desfrutar as artes.

A atitude de uma pessoa pode transformar totalmente uma situação. A questão é decidir passar cada dia de forma feliz e produtiva - onde quer que esteja. Uma pessoa sábia pode criar valor em quaisquer circunstâncias.



Notas:

1. Raicho Hiratsuka, "Seito" Josei Kaihoron Shu (Compilação de Ensaios sobre a Emancipação Feminina da Revista Seito). Kiyoko Horiba, ed. Tóquio, Iwanami Shoten, 1991, p.18.

2. Natália Sats, ibidem, p. 288.


Fonte: Brasil Seikyo, ed. 1.409, 12 abr. 1997, p. 4


Imagens: Daisakuikeda.org; Natalia Sats;

TAGS:ARTIGOS

• comentários •

;