Qual é o sentimento que conduz a expansão da Soka Gakkai?
  • ARTIGOS

Qual é o sentimento que conduz a expansão da Soka Gakkai?

O primeiro passo num empreendimento é traçar um plano

Ao fundar um Distrito na Ásia o presidente da SGI, Daisaku Ikeda, revela a resposta sobre o intuito de expandir a SoKa Gakkai com seu próprio exemplo:


— Estive ponderando sobre criar um distrito geral na Ásia num futuro próximo. Em relação às comunidades, além daquela fundada em Hong Kong, poderíamos pensar também em fundar comunidades na Indonésia, nas Filipinas, no Ceilão e na Coréia. Gostaria que vocês analisassem os planos sob essa perspectiva.


Todos ficaram surpresos. Isso porque a quantidade de membros na Ásia era bastante irrisória em comparação à América do Norte ou ao Brasil. No Ceilão, por exemplo, havia apenas dois membros segundo o relatório do Departamento de Assuntos do Exterior.(...) [E Ikeda continuou:

O primeiro passo num empreendimento é traçar um plano. Depois, é analisar como desbravar os caminhos dentro da situação real para conseguir concretizá-lo. É certo que devemos considerar friamente a realidade, mas se não lutarmos com idealismo e ardente paixão por um empreendimento, jamais conseguiremos realizar algo significativo. A nossa organização estava praticamente desintegrada na ocasião em que o presidente Toda [segundo presidente da Sora Gakkai] ergueu-se diante dos campos devastados do Japão após a guerra. Se ele ficasse preso àquela realidade, jamais teria pensado em concretizar 750 mil famílias. O realismo acaba em muitos casos em mero conservadorismo, prendendo as pessoas à situação real e a uma vida de resignação. Devemos quebrar essa tendência de mero apego à realidade. Se o líder não manifestar a criatividade e novos ideais, o desenvolvimento da Gakkai e toda a esperança acabarão se extinguindo. O importante é estabelecer um grandioso objetivo e criar uma onda de desenvolvimento para concretizá-lo.


Por que propagar o budismo

Uma “religião do kosen-rufu” — eis a característica principal do budismo.

“Propaguem a grandiosa filosofia de vida baseada na Lei Mística e vivam em prol da concretização da paz e da felicidade de todas as pessoas. Esta é a missão pela qual nasceram neste mundo e no cumprimento dela está inserido o caminho para a felicidade.” O esforço em praticar o budismo, além de beneficiar o próprio praticante, abrange a propagação e o ensinamento da Lei Mística às outras pessoas. Nichiren afirma: “Deve não somente perseverar em sua fé, mas também ensinar aos outros com o melhor de sua habilidade, mesmo que seja uma única sentença ou frase”.


Conforme essa frase, a recitação do gongyo e daimoku e a propagação da Lei Mística compõem o eixo principal da prática do Budismo Nichiren. Por outro lado, é uma religião que visa à pacificação do mundo por meio do estabelecimento do verdadeiro ensinamento.


Fonte 
Brasil Seikyo, ed. 2.117, 28 jan.2012, p. B6/B7
TAGS:ARTIGOS

• comentários •

;