Quando o sol nasce, a escuridão se dissipa
  • ARTIGOS

Quando o sol nasce, a escuridão se dissipa

A vida dos bodisatvas da terra é como o sol. O surgimento de um único bodisatva ilumina e revitaliza a localidade

Traduzido do editorial do Dr. Daisaku Ikeda, presidente da SGI, publicado na revista Daibyakurenge, edição de agosto de 2016.


Durante uma reunião de estudo num curso de aprimoramento de verão para a Divisão dos Jovens, o segundo presidente da Soka Gakkai, Josei Toda, fez a seguinte pergunta: “Por que nascemos e nos encontramos na mais conturbada de todas as eras, os Últimos Dias da Lei?”. Olhando atentamente para nós, ele continuou: “Nascemos neste mundo para realizar o trabalho do Buda”.


Nós, os jovens para quem ele estava falando, enfrentávamos as mais severas realidades da vida — dificuldades financeiras, doença e uma série interminável de outros problemas. Mas, Toda sensei nos ensinou que tínhamos escolhido nascer nessas duras circunstâncias para conduzir à iluminação aqueles que estavam sofrendo. Por isso, poderíamos superar até mesmo o carma mais difícil e, de fato, transformá-lo em missão para todos conquistarem a felicidade.


O despertar mais profundo e poderoso na vida é a consciência da verdade de que cada um de nós é um bodisatva da terra.


No [escrito] Registro dos Ensinamentos Transmitidos Oralmente (Ongi Kuden), Nichiren Daishonin afirma: “Nichiren e seus seguidores, que recitam Nam-myoho-renge-kyo, são justamente esses bodisatvas que emergem da terra. Não se deve buscar tais bodisatvas em qualquer outro lugar”.


A Lei Mística que Daishonin começou a recitar é o poderoso som que faz surgir os bodisatvas da terra em nosso planeta.


Onde quer que ressoe o Nam-myoho-renge-kyo pela felicidade de si e dos outros, bodisatvas da terra emergirão em sucessão. Foram mestre e discípulos Soka aqueles que se levantaram corajosamente das tristes terras de um devastado Japão pós-guerra e convocaram uma grande multidão de companheiros bodisatvas em perfeito acordo com o princípio de “emergir das profundezas da terra” descrito nos escritos de Nichiren Daishonin.


Nós, da SGI, estamos orando com a determinação de compartilhar a Lei Mística com as pessoas de todas as esferas da vida para que possam manifestar o estado de buda. Oramos com a decisão de semear as sementes da Lei Mística em todas as localidades e fazer surgir valorosos bodisatvas da terra. Com essa oração clara e determinada, desbravamos o caminho para o kosen-rufu.


Hoje, dramas inspiradores que comprovam brilhantemente o princípio de “emergir das profundezas da terra” desabrocham pelo mundo todo, dia após dia.


Em Uganda, no leste da África, uma das fontes do grande rio Nilo, os jovens da SGI estão compartilhando alegremente o Budismo de Nichiren Daishonin com aqueles ao redor e expandindo uma rede de paz e coexistência harmoniosa.


Eu também recebi cartas de membros do Nepal, país que sofreu um forte terremoto em abril de 2015, compartilhando como foram protegidos pelas forças benevolentes do universo e foram capazes de mudar positivamente sua situação, transformando o veneno em remédio. Com orgulho cada vez maior, como bodisatvas da terra, eles estão estendendo as mãos para as pessoas em sua localidade.


Quanto mais desafiadora a situação, mais alegremente nos enchemos de coragem, sabedoria e compaixão. Este é o manancial encontrado no coração de todos os bodisatvas da terra. No local em que as pessoas que abraçam a Lei Mística se levantam, essa fonte inesgotável de esperança flui abundantemente.


Onde está o honroso palco em que convocamos os bodisatvas da terra? São os nossos blocos, as nossas comunidades.


Nobres indivíduos em todas as regiões, que fizeram do triunfo de suas localidades sua responsabilidade, estão se esforçando com sinceridade e resoluta dedicação em visitar e incentivar os companheiros. A firme oração deles e seus contínuos esforços estão fazendo surgir preciosos bodisatvas da terra, um após o outro. Às vezes, pode haver pessoas que não reajam imediatamente ao sincero incentivo deles. Mas, ao continuarem a visitar e encorajar os outros, certamente receberão ilimitadas “recompensas visíveis pelas virtudes invisíveis”. Todos os dias, junto as palmas das mãos em oração em profundo respeito e gratidão por seus incansáveis e admiráveis esforços, pela proteção e prosperidade do castelo de “valores humanos” da localidade.


Quando o sol nasce, a escuridão se dissipa. A vida dos bodisatvas da terra é como o sol. O surgimento de um único bodisatva da terra ilumina e revitaliza a localidade. A partir daí é que a luz da expansão se propaga.


Agora é hora de recitar Nam-myoho-renge-kyo para romper a estagnação e a resignação. Vamos demonstrar um renovado “emergir das profundezas da terra”, onde nos encontramos neste momento!


Construam um palácio de felicidade,

e uma rede de bodisatvas da terra.

Estabeleçam a cidade eterna

em sua nobre e valiosa terra.


Fonte: Terceira Civilização, ed. 576, 13 ago. 2016, p. 6
TAGS:ARTIGOS

• comentários •

;