Que riquezas nós, pais, podemos legar aos nossos filhos?
  • ARTIGOS

Que riquezas nós, pais, podemos legar aos nossos filhos?

Desenvolver sucessores — Agora é hora de construir o futuro Soka!

“Tesouro do coração transmitido de pais para filhos”

Nichiren Daishonin declara: “Mais valioso que o tesouro do cofre é o do corpo. Porém, nenhum é mais valioso que o tesouro do coração”. O tesouro do cofre (riqueza material) e o tesouro do corpo (como saúde física, habilidades práticas e posição social) são importantes, mas o tesouro do coração é o que produz a felicidade verdadeira.


Pautando-nos pelo mesmo princípio, o maior tesouro que podemos deixar para nossos filhos é, sem dúvida, o tesouro do coração. Como podemos legar aos filhos uma fé e um modo de vida que os habilite a acumular o tesouro do coração é fator crucial do nosso “comportamento como ser humano”, que por sua relevância chega a ser apontado por Daishonin como o propósito do advento do Buda neste mundo. É pelo nosso comportamento como pais — a maneira como agimos em relação aos filhos e os tratamos — que lhes transmitimos o tesouro do coração.


Num discurso que proferi certa ocasião sobre educação e família,1 propus estas diretrizes a respeito de como os pais devem se comportar em relação aos filhos:

1. Pelo fato de a fé constituir uma jornada vitalícia, ajudem os filhos a se concentrarem primeiro nos estudos.

2. Reservem um tempo para conversar e interagir com eles.

3. Evitem brigar na frente deles.

4. Abstenham-se ambos de repreender ao mesmo tempo o filho.

5. Sejam justos e não comparem um filho com outro.

6. Falem com eles sobre sua dedicação à fé.


A fé é uma jornada para a vida toda

É fundamental ter cuidado e consideração com os filhos. O mais importante é respeitá-los, e isso faz parte da nossa prática de prezar as pessoas.


Toda sensei também ofereceu conselhos à minha esposa e a mim sobre a tarefa de ser pai e mãe. Ele sugeriu que todas as manhãs nós os enviássemos à escola despedindo-nos adequadamente com acenos ou outras manifestações de atenção, e ao nos ausentarmos de casa para o trabalho ou atividades, nós os incentivássemos pelo telefone ou escrevendo-lhes bilhetes ou cartas.


Às vezes, nossos filhos acordavam atrasados e tinham de sair correndo para a escola sem fazer o gongyo. Quando isso acontecia, minha esposa sempre dizia: “Não se preocupem, estarei orando por vocês!”, e se despedia deles com um terno sorriso.


A fé é uma jornada para a vida toda. É imprescindível adotar uma perspectiva de longo prazo em relação aos filhos, e não os fazer sentir que praticar o budismo é penoso. Deixem que se sintam à vontade e desenvolvam suas habilidades livremente.


Toda sensei costumava expressar: “Tanto pais como filhos são filhos do Buda. Se decidirem crescer com seus filhos no jardim da Soka Gakkai, tudo infalivelmente se direcionará para um rumo positivo”.


Os filhos os estão observando participar sincera e ardentemente das atividades da organização. Também é essencial incentivá-los a recitar o gongyo com vocês. Sua atitude determina tudo. Se adotarem uma postura positiva, vocês e seus filhos acumularão o tesouro do coração e construirão uma família harmoniosa.


Crescer e se desenvolver juntos no jardim da família Soka

Hoje, torna-se ainda mais relevante reconhecer que as crianças não são somente tesouros de suas famílias, mas também tesouros da comunidade, da sociedade, do país e da humanidade.


Além disso, as crianças que cresceram dentro da Soka Gakkai são nossos sucessores na fé que continuarão a conduzir o bastão do kosen-rufu. Vamos unir nossas forças para zelar por elas, encorajá-las, treiná-las e desenvolvê-las com todo o carinho. Nesses tempos cada vez mais desafiadores, também é fundamental demonstrarmos consideração ainda maior pelas famílias que estão se dedicando à criação dos filhos.


Quando por acaso se encontrar com crianças ou estiver visitando famílias que tenham crianças, sempre se esforce para falar com elas.


Há coisas que os pais podem ter dificuldade de expressar aos filhos, mas que talvez eles aceitem prontamente de outros membros, de todas as idades, da organização em cada localidade.


Devem também falar às crianças sobre as ações positivas que os pais delas estão fazendo. Por exemplo, “Seu pai está se empenhando arduamente por todos. Ele é uma pessoa maravilhosa!”; “Conversei com sua mãe e ela me deu um conselho que realmente me ajudou”. Além do mais, devem elogiar as próprias crianças, dizendo: “Muito obrigado por cuidar de tudo em casa enquanto seus pais estão ocupados com as atividades. Sei que eles apreciam sinceramente isso”. As palavras calorosas dos companheiros da nossa família Soka cintilarão como pedras preciosas no coração desses jovens enquanto viverem.


Bons amigos nos ajudam a desenvolver nosso pleno potencial

Os filhos também necessitam de “bons amigos” para acreditarem no potencial inerente deles e construírem sua autoestima.


Assim como a chuva da primavera leva as plantas a produzir brotos, e o luar do outono enseja o amadurecimento dos frutos, bons amigos estimulam a vida dos jovens a crescer de maneira robusta e positiva.


Reconheçamos e reiteremos que a Soka Gakkai constitui um inigualável conjunto de bons amigos.


Os membros da Soka Gakkai revelam o potencial inerente à vida deles por meio da interação e da inspiração obtida com bons amigos. Fazendo parte dessa rede de bons amigos, nossa missão inata floresce com extrema exuberância.


A fé e a prática da Lei Mística — mediante atos como prezar cada pessoa, trabalhar para eliminar a miséria do mundo e acreditar que cada pessoa pode se tornar feliz — são transmitidas por intermédio do contato com os associados da Soka Gakkai que estão se dedicando ao máximo.


Por isso, é importante criar nossos filhos no jardim da Soka Gakkai. Como parte desse processo, compartilhe com eles como sua família ingressou na organização. Fale com eles sobre as razões que levaram a família a praticar, os esforços dos familiares em prol do kosen-rufu no passado e os momentos decisivos ou acontecimentos que inspiraram a prática deles. Ouvir os membros relatarem nas reuniões de palestras e em outras atividades experiências de como transformaram a vida por meio da prática do budismo também constitui uma relevante fonte de inspiração e de encorajamento.


Fonte: 
Brasil Seikyo, ed. 2.369, 29 abr. 2017, p. B1-B3
TAGS:ARTIGOS

Notas:

1. Extraído do discurso proferido numa conferência de representantes da SGI, em Miami, Flórida, em 3 de fevereiro de 1993.
2. Três potenciais inerentes à natureza de buda: Princípio formulado por Tiantai (538–597), que considera a natureza de buda de três perspectivas. Os três potenciais inerentes são: a natureza de buda inata; a sabedoria para percebê-la; e as boas ações ou práticas para desenvolver essa sabedoria e fazer com que a natureza de buda se manifeste. As ações benéficas ajudam a desenvolver a sabedoria, e a sabedoria desenvolvida percebe a natureza de buda. Dessa maneira, os três potenciais constituem causas que atuam juntas para capacitar o praticante a obter o efeito do estado de buda.
3. A data e o destinatário do escrito A Declaração Unânime dos Budas das Três Existências são desconhecidos. A “declaração unânime” citada no título é a rejeição dos ensinamentos anteriores ao Sutra do Lótus, a favor do Sutra do Lótus. O tratado aponta o Sutra do Lótus como supremo, classificando os ensinamentos apresentados nos outros sutras.

• comentários •

;