Invencível!
  • JUVENTUDE

Invencível!

O melhor é viver com um espírito invencível, abrindo o próprio caminho, independentemente da sua situação

Com base no discurso do presidente Ikeda adaptado do Diálogo da Esperança, publicado em japonês em junho de 2003.


A juventude pode ser uma época de altos e baixos emocionais, em que a pessoa é demasiadamente influenciada pelas circunstâncias e tomada por uma sensação de angústia e desalento. Por essa razão, neste direcionamento aos estudantes, presidente Ikeda salienta a importância de se seguir em frente com um espírito invencível.


Circunstâncias favoráveis não garantem a felicidade e, da mesma forma, circunstâncias difíceis não significam que alguém esteja fadado a ser infeliz.


Não é o ambiente, mas somos nós quem decidimos a nossa felicidade. Nós escolhemos se seremos derrotados pelo nosso ambiente ou se triunfaremos sobre ele. Esse é o fator que determina a nossa felicidade.


Isto não se aplica somente à escola, pois na vida há muitos fatos preocupantes, dolorosos, desagradáveis e inquietantes.


Ao se deparar com situações desse tipo, há duas opções. Pode-se reclamar, culpar o ambiente e ser derrotado. Algumas pessoas talvez se mostrem solidárias, mas, no final, quem sairá perdendo é você, e qualquer coisa que disser não passará de desculpa. A segunda opção é viver com um espírito invencível, abrindo o próprio caminho, independentemente da sua situação. Cabe a você escolher.


Pessoas fortes são felizes

Na Índia, o sistema de castas continua profundamente enraizado no costume social, dividindo as pessoas em diferentes papéis e estratos sociais, desde o nascimento. Há, contudo, uma pessoa que, apesar de ter nascido na casta mais baixa, ascendeu e tornou-se o presidente da Índia.


Eu me refiro ao atual [em 2000] presidente, Sr. K. R. Narayanan, de quem sou amigo há bastante tempo. O Sr. Narayanan foi o quarto de sete filhos. A família era paupérrima, a casa não tinha banheiro e ele estava sempre com fome. Para ir à escola, precisava andar todos os dias sete quilômetros na ida e mais sete na volta. Durante a estação chuvosa, a lama chegava aos tornozelos. Naquelas longas caminhadas, ele estava sempre lendo. Como não tinha condições de comprar livros, lia avidamente qualquer jornal ou livros que viessem parar em suas mãos e fazia anotações detalhadas.


Reconhecendo o amor de Narayanan pelo estudo, os irmãos mais velhos dele abriram mão da oportunidade de prosseguir estudando para que ele pudesse ter acesso à educação. Mesmo assim, a família muitas vezes não tinha condições de pagar a mensalidade. Ele era punido por isso, sendo obrigado a ficar de pé do lado de fora da sala de aula. Porém, recusava-se a deixar que isso o desanimasse. Simplesmente, ele se esforçava para ouvir cada palavra do que era ensinado dentro da sala. Posteriormente, concederam-lhe uma bolsa de estudos que fora criada por Mahatma Gandhi, e ele pôde dar continuidade aos estudos. Formou-se na universidade como o melhor aluno de sua turma e tornou-se diplomata. Ainda se recorda das dificuldades de sua juventude com um sorriso no rosto. Segundo ele, um diplomata precisa permanecer impassível diante de críticas e insultos; por isso, ser forçado a ficar de pé do lado de fora da sala, foi um bom treinamento.

Ele é uma pessoa forte. Pessoas fortes são felizes. A felicidade se encontra em um espírito forte e resiliente.

Uma maneira admirável de viver

É possível abrirmos amplo caminho de esperança desde que não sejamos dominados pela fraqueza de culpar os outros por tudo que nos acontece. Devemos decidir: “Cabe a mim! Preciso ser forte!”. Reclamar e ficar dando desculpas é muito feio. Pôr a culpa nos professores, nos pais, nos amigos — culpar os outros não é uma maneira admirável de viver.


Napoleão Bonaparte declarou que cabia a ele construir o seu ambiente. Decidam jamais culpar suas circunstâncias; em vez disso, determinem criar o ambiente que desejam.


Sempre acreditei que vocês, como jovens imbuídos de missão, não podem ser derrotados. Vocês nasceram para vencer! Portanto, mirem em seus sonhos e empenhem-se ao máximo para torná-los realidade.


Mesmo que demore e que tenham de dar muitas voltas até alcançá-los, o que importa é que consigam, no fim, cruzar a linha de chegada. Tornem-se fortes. Pessoas fortes são pessoas felizes.


Aqueles que respondem a situações dolorosas cerrando os dentes e dando o máximo de si conseguem conquistar um tesouro raro e intangível. Por outro lado, pessoas fracas, por mais favoráveis que sejam as suas circunstâncias, de alguma forma transformam tais prerrogativas em influências negativas em sua vida.


O modo de vida que escolhem define o seu futuro. A decisão não é de ninguém mais. Não há quem culpar. Cabe inteiramente a vocês.


Se permitirem que o ambiente os domine, ele se tornará o ator principal em sua vida. Vocês são os protagonistas, vocês é que determinam o curso de sua própria vida.


Fonte: Brasil Seikyo, ed. 2.323, 14 maio 2016, p. B3
TAGS:JUVENTUDE

• comentários •

;